Opinião

Viva a malta do Irão!

Manuel Rui

Escritor

Os últimos dias foram marcados por suaves mas relevantes acontecimentos nacionais com o Presidente da República a receber Adalberto da Costa, com fotografia em primeira página de jornal, daquelas de mãos apertadas com os rostos para a frente. Depois, representantes de outros partidos foram também recebidos.

13/10/2022  Última atualização 06H10

Dispuseram-se a colaborar. Sinto orgulho pelo início de consensos que nos podem levar ao aperfeiçoamento do regime até ao sistema, conjunto de estruturas para durarem no tempo, sólidas e estáveis. Se fosse no cinema diria que no casting atores houve que discutiam o guião, principalmente, o artista principal, o galã, agora o realizador chamou os artistas um por um e o filme vai rodar. Faço este metáfora porque a pacificação do país é invejável, talvez por isso Angola está na Comissão dos Direitos Humanos na ONU.

Em Portugal, numa televisão todos os dias o almoço é Ucrânia, o jantar é a Rússia, a senhora dos casaquinhos da União Europeia gosta mais de guerra do que salsicha grande e assiste a uma eventual fragmentação com o acrescento dos países não democratas à entrada da nova patroa neofascista italiana, Biden(com guerras a correr) e Reino Unido de calças na mão, gastam balúrdios em dinheiro e armamento sofisticado para ajudar a Ucrânia a bater na Rússia, o ocidente ficou contente porque a Ucrânia partiu a ponte da Crimeia e o Russo zangou-se e atacou Kiev e outras cidades com uma agressividade qua ainda não havia acontecido. Lá onde se come   com pauzinhos sem arroz, o muata dos mísseis volta a poluir o mar do japão e foram mais uns, as Coreias que a 2ª Guerra mundial dividiu em dua pelo paralelo 38, tardam em unir-se. A do sul é uma potência económica, industrializada e grande produtora de automóveis…a  do norte comem pauzinhos sem arroz mas fazem "maravilhosos” desfiles militares enquanto os chineses observam o mundo por binóculos…e como anda tudo em pânico com a ameaça nuclear dos russos, os tugas fazem debates sobre o conceito de terrorismo que foi inventado pelos terroristas europeus com as invasões aos outros continentes mas, vá lá, um embaixador de bom senso, quando um general daqueles que ainda dizem ultramar, falou, meus senhores, não se esqueçam que chamávamos turras aos que em Angola lutavam contra o jugo colonial. Mas, enquanto ainda se discutia o nuclear do Irão, a malta sai à rua,cortam simbolicamente o cabelo, as mulheres sem lenço e contrariando a polícia moral, lutam pela liberdade. Viva a malta do Irão! Quem me dera mandar-vos umas catanas do éferramada e jindungo para clisteres ao tirano. Voltei à paixão pela desobediência civil do tempo da minha universidade em Coimbra. Vamos embora malta do Irão. O bandido foi à universidade e levou berrida. Na televisão, hackeres fizeram aparecer o tirano em chamas. Viva a malta do Irão. Tem malta em todo o mundo que está do vosso lado. O rastilho pegou e a juventude que foi enganada na tal revolução agora vai corrigir o rumo da história até entrar no palácio, tirar o tirano e fazê-lo passear todo nu pelas ruas, até ao seu julgamento por todos os crimes por ele e seus acólitos. E o Irão não é o pior relativamente à mulher e às desigualdades sociais.

No meio disto tudo, inflação global, o maior país da CPLP, o Brasil, tem um presidente olímpico, anda em motociatas, manifestações motares, cavalatas, manifestações a cavalo e até  vacaciatas, manifestações montando vacas…com Deus Pátria e Família, recordando Franco, Mussolini e Salazar. E gosta daquela marchinha de carnaval antiga, "daqui não saio, daqui ninguém me tira”, mistura política com religião e entende que foi Deus quem o colocou desde os tempos em que exibia na mão cloroquina para curar o covid, francamente, tem dias em que as pessoas deviam entrar em alguns palácio pelo mundo e desinfetá-los com creolina.

Viva a malta do Irão! Abaixo o cinismo ocidental que põe nas camisolas desportivas de futebol Emirates ou Qatar para receberem patrocínios, tem mesmo príncipes de emiratos que compram clubes na europa, uma montanha de treinadores de futebol e jogadores que vão para lá ganhar fortunas e agora querem sabotar o campeonato do mundo de futebol no Qatar por causa dos direitos humanos…com o estádio já preparado até com suites lá nos camarotes onde os pobres podem ver…se tiverem televisão…

Viva a malta do Irão! É preciso acabar com o apedrejamento a mulheres até à morte onde ele existe. Estas coisas são mais importantes, ou deviam ser, para o Sec. Geral da ONU em vez de ir à Ucrânia, deveria ir ao Irão (se lhe deixassem) e Portugal devia mandar o chefe do Chega ao Irão para esterilizar o muata e sua corte ou mesmo capá-los.

Viva a malta do Irão! A malta desobediente, a malta que arrisca a vida pela liberdade. A questão é de quem quiser usar gurca que use como acontece aqui, algumas ficam muito bonitas. Mas também não é proibir como aconteceu em França.

Seja como for Viva a malta do Irão!

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Opinião