Política

Visita de Macky Sall ao país constitui momento de viragem nas relações entre as duas Nações

César Esteves

Jornalista

O Presidente da República, João Lourenço, considerou, ontem, em Luanda, a visita de Estado de 72 horas do homólogo senegalês, Macky Sall, a Angola, um momento de viragem nas relações de cooperação e intercâmbio entre as duas nações.

26/05/2022  Última atualização 09H35
Chefe de Estado, João Lourenço, disse que a visita de Macky Sall obriga a recordar momentos importantes entre os dois países © Fotografia por: Kindala Manuel | Edições Novembro

O Chefe de Estado, que discursava durante as conversações oficiais, entre as duas delegações, referiu que "o largo interregno" registado nas relações entre os dois países não foi capaz de impedir e nem condicionar que se começasse a traçar, em Janeiro deste ano, o quadro jurídico-diplomático, sobre o qual disse assentar toda a cooperação e intercâmbio, com a assinatura do Acordo Geral de Cooperação Técnica, Científica e Económica.

O Presidente João Lourenço salientou que este passo representou uma janela importante para que, na mesma altura, se pudessem rubricar outros instrumentos, como o Acordo de Supressão de Vistos em passaportes diplomáticos, oficiais e de serviço, bem como a criação da Comissão Mista Bilateral. "Considero que o nosso encontro representa uma grande oportunidade para abordarmos, com franqueza, a melhor forma de impulsionarmos, com sentido prático, todas as iniciativas que visem tornar a nossa cooperação cada vez mais ampla e diversificada", aflorou o estadista angolano, para quem esta constitui uma oportunidade a não desperdiçar.

João Lourenço referiu, ainda, que a visita de Macky Sall ao país obriga a recordar momentos importantes da história comum entre os dois países que "valorosos" filhos africanos, inspirados e liderados por António Agostinho Neto e Léopold Sédar Senghor, empreenderam em prol da conquista da liberdade dos povos dos dois Estados, bem como para a sua edificação.

O Presidente destacou que este marco jurídico vivido entre os dois Estados deve ser visto como ponto de partida de uma série de outras iniciativas que podem assumir em sectores "importantíssimos" da vida nacional dos dois países.

Sobre este particular, o Chefe de Estado destacou que as áreas da Agricultura, Transportes, Petróleo e Gás, Cultura, Hotelaria e Turismo, Finanças, Banca e Negócios, Indústria e Comércio, Saúde e outros serão alavancas impulsionadoras do relançamento e dinamização da cooperação económica e de intercâmbio empresarial entre Angola e Senegal, sobretudo na obtenção de benefícios mutuamente vantajosos.

O Presidente da República disse ser interesse de Angola trabalhar, de forma conjugada com o Senegal, a fim de se encontrarem as melhores vias para o desenvolvimento de uma cooperação sólida e dinâmica, que tenha, como base, as grandes potencialidades e capacidade criativa dos dois povos.

Na ocasião, assegurou que o mercado angolano está aberto à entrada de investidores senegaleses, que queiram aproveitar as oportunidades existentes no mercado nacional, bem como as grandes vantagens proporcionadas pelo ordenamento jurídico angolano em matéria de investimento.

 Três acordos de cooperação

Os dois países rubricaram, ontem, três acordos de co-operação, nomeadamente nos domínios dos Petróleos e Gás, Turismo e Comércio. O Presidente da República referiu que este passo vai proporcionar um ambiente empresarial mais atractivo e seguro, entre Angola e Senegal, susceptível de facilitar a mobilização de empresas nos dois sentidos, além de aproximar as relações de amizade entre os dois povos.

Dado o momento conturbado que o mundo vive, neste momento, provocado, sobretudo pela pandemia da Covid-19 e pela deflagração quase constante de conflitos em várias zonas do planeta, João Lourenço defendeu unidade de acção entre os países africanos, para se proteger  dos problemas económicos que se vão observando nas principais economias mundiais.

"Podemos, neste complexo contexto global, agir de modo coordenado, com políticas bem definidas, no sentido de dinamizarmos o potencial agrícola disponível no nosso continente, para, deste modo, ajudarmos a suprir o défice de produção alimentar que se vai registando no mundo", realçou o Presidente João Lourenço.

 PR convidado a visitar Senegal

 Na ocasião, o Presidente da República foi convidado, pelo homólogo senegalês, a visitar, também, o Senegal, um convite anuído pelo estadista angolano, em data a acordar.

 Macky Sall saúda nova dinâmica nas relações

O estadista senegalês, Macky Sall, que é, também, neste momento, presidente em exercício da União Africana, saudou a nova dinâmica registada nas relações entre Angola e o seu país e prometeu abrir, tal como Angola já o fez, uma embaixada, em Luanda, para permitir uma maior fluidez no relacionamento entre os dois Estados. Macky Sall, que termina, hoje, a visita de Estado a Angola, disse que o seu país está interessado em cooperar com Angola, sobretudo, nos domínios das indústrias extractivas, exploração de hidrocarbonetos e Saúde. Esta é a primeira visita de um Chefe de Estado senegalês a Angola e resulta do convite formulado pelo Presidente João Lourenço.

No final das conversações oficiais, os dois Chefes de Estado prestaram declarações à imprensa, tendo o destaque recaído para a vontade dos dois países em reforçar, cada vez mais, as relações de cooperação entre os dois países.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política