Sociedade

Violência contra a criança com tendência a aumentar

José Rufino | Luena

Jornalista

Os casos de violência contra a criança tendem a aumentar na província do Moxico, tendo-se registado vinte, desde Janeiro, contra três do período homólogo de 2020.

02/06/2021  Última atualização 08H41
População é aconselhada a dar maior atenção à criança © Fotografia por: Dombele Bernardo | Edições Novembro
Segundo o chefe provincial do Instituto Nacional da Criança (INAC), Elias Samuchito, a fuga à paternidade, não prestação de alimentos, exploração do trabalho infantil, maus tratos e agressões físicas constam na lista dos casos mais registados.

Elias Samuchito, que falava no acto alusivo ao Dia Internacional da Criança, que decorreu no município de Camanongue, 52 quilómetros a Norte da cidade do Luena, apontou a fraca capacidade económica e financeira das famílias, associando-se ao momento actual da pandemia que o país está a viver nos últimos anos, como as principais razões do aumento de casos na região. Para se inverter o quadro, defendeu a criação de redes de protecção e promoção dos direitos das crianças, inseridas no âmbito da descentralização e desconcentração dos serviços do Estado.

Sob o lema "Municipalização da acção social, para protecção e desenvolvimento integral da criança”, o 1 de Junho deste ano, segundo Elias Samuchito, comemora-se numa altura em que o Governo mantém o seu compromisso com a causa da criança angolana.
Para o responsável do INAC, são visíveis os problemas que as crianças sofrem, devido aos conflitos existentes nos lares, associando-se às práticas tradicionais antigas e negativas, como, por exemplo, os casamentos precoces, abuso sexual de menores, venda ambulante e outros males que prejudicam o crescimento integral da criança.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade