Política

Vila Nova elogia sapiência dos angolanos na conquista da paz

Garrido Fragoso

O Presidente da República Democrática de São Tomé e Príncipe elogiou, esta segunda-feira, em Luanda, a sapiência e maturidade dos angolanos na conquista da paz definitiva em 2002, salientando que a proeza testemunha a capacidade de harmonizar posições desavindas.

10/05/2022  Última atualização 06H20
© Fotografia por: paulo mulaza | edições novembro

Ao discursar na reunião plenária solene convocada por ocasião da visita de Estado de três dias ao país, Carlos Manuel Vila Nova considerou o 4 de Abril, consagrado à Paz e à Reconciliação Nacional (4 de Abril de 2002) como a mais decisiva conquista do povo angolano do pós-Independência.

"Foi um marco muito inspirador e ensinamento para África e o mundo", afirmou o Chefe de Estado são-tomense, que destacou os "excelentes laços históricos de amizade e irmandade” entre os dois povos, desde os primórdios da luta pela Independência.

Entre os vários testemunhos de fraternidade demonstrados por Angola, Carlos Vila Nova destacou o contributo na formação das forças de Defesa e Segurança são-tomenses em 1980, quando estas se encontravam ainda no estado embrionário.

Ao longo da intervenção, o estadista também falou dos efeitos do conflito armado no Leste europeu, das consequências económicas provocadas pela pandemia da Covid-19 à economia mundial e dos desafios do continente africano, sobretudo, nos domínios da Saúde, Educação e saneamento básico.

Defendeu, a propósito, a pacificação de África e o diálogo como principal instrumento para a resolução dos conflitos armados. Sublinhou que África, pelas riquezas dos solos e subsolos, recursos marinhos, juventude, cultura vibrante, património material e imaterial deve tornar-se numa "verdadeira" frente mundial de desenvolvimento.

O Chefe de Estado são-tomense disse que a criação da Zona de Comércio Livre é uma porta de esperança e uma oportunidade para o continente ser artífice e artesão do próprio quotidiano e futuro.

"África precisa de reescrever a história, recuperar o seu verdadeiro lugar e reconquistar a dignidade compatível com a sua dimensão e potencial", afirmou Vila Nova, realçando que o continente possui uma "significativa" população jovem, capaz de responder aos desafios nos sectores do Empreendedorismo, Tecnologia Digital e Protecção do Ambiente.

Para o Chefe de Estado são-tomense, a União Africana tem a missão histórica de levar o continente a patamares de desenvolvimento que proporcionem uma "existência condigna" dos seus filhos.

"A União Africana não pode falhar no cumprimento dos seus objectivos", alertou Carlos Vila Nova, lembrando que a cada um dos Estados devem ser exigidas responsabilidades no cumprimento dos deveres.

 

Sede da Assembleia Parlamentar da CPLP

O presidente da Assembleia Nacional anunciou, ontem, a abertura, em Luanda, da instalação da sede do Secretariado Permanente da Assembleia Parlamentar da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

No discurso de boas-vindas ao Parlamento do Presidente são-tomense, Fernando da Piedade Dias dos Santos indicou que o Secretariado Permanente da Assembleia Parlamentar da CPLP funcionará nas instalações do Palácio da Assembleia Nacional, onde já estão criadas todas as condições.

Sublinhou o desejo da Assembleia Nacional (AN) dinamizar, no plano bilateral, o Acordo de Cooperação com a congénere são-tomense, assinado pela primeira vez em 2004, para a consolidação dos laços culturais, de amizade, fraternidade e de cooperação parlamentar.

A AN pretende, no plano bilateral, estreitar relações com a congénere são-tomense ao nível da assistência técnica, troca de experiência entre parlamentares e as administrações que auxiliam a actividade parlamentar, referiu Fernando da Piedade Dias dos Santos, acrescentando que no plano multilateral são privilegiadas as concertações de posições, consultas e trocas de informação no quadro das participações dos dois Parlamentos em fóruns internacionais.

 

Delegações parlamentares avaliam cooperação

Ontem de manhã, antes da ida de Carlos Vila Nova ao Parlamento, delegações parlamentares dos dois países reuniram para a troca de experiências nos domínios bilateral e multilateral e traçar estratégias de cooperação. 

A vice-presidente da Assembleia Nacional, Emília Carlota Dias, disse que durante o encontro foi feita uma "profunda abordagem" sobre o dia-a-dia nos dois Parlamentos, contacto com eleitorado e questões ligadas à administração parlamentar.

Destacou que os dois países mantêm "relações históricas profundas", que também passam pela cooperação parlamentar, que data de 2004. O lado são-tomense esteve encabeçado pelo primeiro vice-presidente da Assembleia Nacional, Guilherme Octaviano Viega dos Ramos, para quem "foi muito fácil" o entendimento entre as partes, devido aos "excelentes laços umbilicais” de amizade que unem ambos povos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política