Sociedade

Viana dispõe de cadeia de frio para a conservação de vacinas

Manuela Mateus

A Delegação Municipal da Saúde de Viana, em Luanda, deixa de depender de hospitais, para a conservação de vacinas, por dispor já de uma cadeia de frio.

19/11/2022  Última atualização 09H35
Administração quer serviços mais próximos das comunidades © Fotografia por: ADRIANO CAHUILI | edições novembro

A cadeia de frio foi montada, na Delegação Municipal de Saúde da Viana, na sequência da realização de obras de remodelação, já concluídas e orçadas em 15 milhões de kwanzas.

A cadeia de frio é uma das novas subunidades de saúde instaladas na Delegação Municipal da Saúde de Viana, reinaugurada, ontem, pelo administrador municipal, Demétrio de Sepúlveda.

Na cerimónia de reinauguração, o director municipal da Saúde de Viana, Matondo Alexandre, informou que, quando não havia cadeia de frio na delegação, as vacinas eram conservadas em unidades da Saúde de Viana, entre as quais os hospitais "Mãe Jacinta” e "Ana Paula”.

Matondo Alexandre adiantou que, na sequência das obras de remodelação, a Delegação Municipal da Saúde de Viana vai melhorar os serviços relacionados com os programas de combate à tuberculose e ao VIH/Sida, assim como os de promoção da saúde comunitária, materno-infantil, escolar e ambiental.

O responsável destacou o investimento feito na Delegação Municipal da Saúde de Viana, sublinhando que a população passa a ser melhor servida, por estar disponível "uma nova estrutura que comporta todos os programas do quinquénio”.

"Nós precisamos de estar mais próximos das comunidades”, referiu Matondo Alexandre, que disse terem os técnicos agora mais "espaços estratégicos” para intervenção nas comunidades. 

 

Construção de morgue

 Na sua intervenção, o director municipal de Saúde de Viana falou do grau de execução das obras de construção de uma morgue, no Hospital do Kapalanga, sublinhando que "estão avançadas”.

Matondo Alexandre explicou que a morgue em construção neste hospital de Viana vai atender toda a província de Luanda.

A nova morgue da província de Luanda vai dispor de mais de 300 gavetas e de duas salas de velório, de acordo com o director municipal de Saúde de Viana.

O responsável lembrou que, no município de Viana, estão em funcionamento duas casas mortuárias, uma no Hospital do Kapalanga, com quatro gavetas, e outra no Hospital do Zango, com seis gavetas. 

Por sua vez, o administrador municipal de Viana deu ênfase à importância da saúde pública, lembrando que é prioritária. Demétrio de Sepúlveda destacou, também, a necessidade de os técnicos de saúde pública terem sempre melhores condições para trabalhar.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade