Economia

Vera Daves garante apoio para electrificação dos municípios

Valter gomes| Uíge

A ministra das Finanças garantiu, ontem, no Uíge, apoio financeiro para a concretização da segunda fase de electrificação dos municípios e bairros da cidade do Uíge, com vista a impulsionar o desenvolvimento da região, bem como melhorar as condições de vida da população.

31/07/2021  Última atualização 07H50
© Fotografia por: Mavitidi Mulaza | Edições Novembro
Vera Daves, que visitou os projectos enquadrados no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) e no Programa de Investimentos Públicos (PIP), disse ter tomado boa nota das preocupações apresentadas pelo governo da província, sobretudo sobre a electrificação, visto que Uíge tem apenas três municípios com energia.

"Vamos ajudar o governo da província a encontrar soluções de financiamento para electrificação dos bairros e municípios. Também registámos a necessidade de reforço das verbas para pagamento do saneamento básico, bem como incentivar a utilização do portal do munícipe e potenciar o movimento transfronteiriço de mercadorias pela via de arrecadação de receitas aduaneiras”, disse.

Sobre o que viu e ouviu dos projectos em curso no âmbito do PIIM, Vera Daves disse que saiu do Uíge satisfeita pelo nível de execução física dos mesmo e garantiu continuar a trabalhar com o governo da província para um reajusto daqueles que apresentam necessidade na execução financeira.

"Os projectos seguem o seu ritmo normal, existem alguns que têm que ser repensados e negociar com empreiteiros, que estão sem capacidade técnica para continuar, há ainda outros que têm execução física avançada e que necessitam o financiamento cabal, por isso, voltamos com o compromisso de continuar a dialogar com o governo, as administrações municipais e com os meios disponíveis para, gradualmente, irmos resolvendo os projectos cuja situação financeira ainda não está equacionada”, assegurou.

Em relação aos projectos do PIP paralisados há alguns anos, como a Mediateca, a Casa da Juventude, a asfaltagem da estrada que liga Songo ao Bembe, Macocola a Milunga, edifícios da centralidade de Quilomosso, bem como o Magistério Primário, a ministra garantiu que "o Executivo vai trabalhar no sentido de encontrar fontes de financiamento para, em 2022, estas obras serem concluídas”.

Vera Daves foi informada, entre outros dos problemas sobre o estado das ravinas que ameaçam cortar a circulação entre a cidade do Uíge e os municípios do Sanza Pombo, Buengas, Quimbele e Milunga, e degradação da via de acesso ao campus universitário.

Caminho aberto para as soluções

O governador do Uíge, José Carvalho da Rocha, considerou a visita da ministra das Finanças "um caminho aberto para encontrar soluções de alguns problemas que exigem a intervenção do Governo central”.

"A visita da ministra veio dar um alívio, visto que vários projectos em curso e outros paralisados, que necessitam do impulso do Executivo, vão nos próximos dias conhecer solução. Por isso, estamos satisfeitos e durante o encontro técnico abordamos vários problemas que a afligem a vida da população, recebemos a garantia da ministra e isso, nos deixa satisfeitos e esperançosos que dias melhores estão para breve”, disse.

O director do Gabinete de Estudo Planeamento e Estatística do Governo provincial do Uíge, Eder Edson, explicou que, no âmbito do PIIM e do PIP, a província foi contemplada com 102 projectos, sendo 61 para o sector da Educação, sete para a Saúde, seis para Energia e Água, 11 para as vias de comunicação, e 16 para limpeza e saneamento básico.
O responsável esclareceu que, desde o início dos projectos do PIIM, em 2020, até à data, já foram gastos mais de sete mil milhões de kwanzas.

Os projectos proporcionaram, também, empregos direitos a mais de dois mil cidadãos, na maioria jovens residentes em municípios da província.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia