Sociedade

Vandalização de PT causa prejuízos de 25 milhões

A vandalização e queima de um Posto de Transformação (PT) de energia eléctrica, na madrugada de quinta-feira (02), na Estrada de Catete (Fermat), em Luanda, provocou prejuízos de quase 25 milhões de kwanzas à Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE).

04/01/2020  Última atualização 15H00
DR

Além desse prejuízo, a queima total do PT, por indivíduos ainda não identificados, também privou o fornecimento de energia eléctrica à rede de iluminação pública, no perímetro FTU/INEA (Instituto de Estradas de Angola), segundo o director da ENDE do centro de distribuição do Kilamba Kiaxi, Pedro Buca.
Questionado sobre a falta de iluminação pública em alguns pontos da Estrada de Catete, o responsável justificou que, além das vandalizações do material eléctrico, o problema prende-se também com a falta de manutenção regular do sistema eléctrico.
O PT também fornecia energia eléctrica ao supermercado Shoprite e ao estabelecimento de venda de derivados de petróleo (óleos de viatura) “Cavalo Branco”, que neste momento estão a ser alimentados por uma fonte alternativa da ENDE.
O local onde está instalado o equipamento eléctrico foi transformado em recauchutagem, facilitando a acção dos malfeitores, que utilizaram pneus para incendiarem o PT e levarem o equipamento que contém cobre.
De acordo com Pedro Buca, o caso já foi entregue às autoridades policiais, que estão a investigar para responsabilizar os culpados.
Em função da utilidade e procura de cobre tem sido recorrente a vandalização e destruição de equipamentos eléctricos na cidade de Luanda e em outras províncias do país.
O cobre é um metal que pode ser utilizado em diversas áreas, como construção civil, aquecimentos de água, refrigeração, produção de máquinas industriais e até aparelhos electrónicos.

Electrificação em Luanda
A província de Luanda beneficiou de mil PT de baixa tensão e nove subestações para o fornecimento de energia eléctrica às populações, no âmbito do Projecto de Electrificação e Ligações Domiciliares, iniciado em 2016 e concluído em 2019.
Apesar desse investimento, o director Pedro Buca reconheceu que ainda se regista em alguns bairros da cidade de Luanda a falta de energia da rede pública. Os próximos investimentos visam abranger essas zonas consideradas cinzentas.
O projecto está avaliado em 675 milhões de dólares.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade