Sociedade

Vacinas custaram 88 milhões de dólares

Mazarino da Cunha

Jornalista

Angola gastou 88 milhões de dólares na aquisição das dez milhões de doses de vacina da Sinopharm (três milhões das quais chegaram ontem), à razão de 8.8 dólares por vacina. Outras sete milhões de doses da mesma vacina chegam até antes do final do ano.

05/10/2021  Última atualização 08H42
Segundo o ministro de Estado e chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, Francisco Furtado, a aquisição desta quantidade de doses demonstra o empenho do Governo no cumprimento do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19, que prevê imunizar, até ao final do ano, 60 por cento da população adulta. 


Em declarações à imprensa, após ter testemunhado a chegada de três milhões de doses da vacina Sinopharm no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, Francisco Furtado reafirmou que "o país tem vacinas suficientes". 


Além de ter vacinas suficientes para imunizar a população adulta, segundo o também coordenador nacional da Comissão Multissectorial para Prevenção e Combate à Covid-19, Angola tem criadas as condições para a conservação e transportação das mesmas. 


Em relação ao processo de vacinação que decorre em todo o país, Francisco Furtado disse que a adesão aos postos é cada vez mais satisfatória, sublinhando que no sábado passado foram vacinadas mais de 30 mil pessoas.
 
"Os cidadãos acima de 18 anos de idade devem dirigir-se aos postos de vacinação de modo a permitir o corte da cadeia de transmissão do vírus no país e o retorno à vida normal de toda a população", apelou.

A ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, referiu que o único factor que vai permitir ao Executivo atingir os objectivos do Plano Nacional de Vacinação contra a Covid-19 é apenas a adesão da população aos postos de vacinação. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade