Política

UNITA: Promessa de parque industrial e Defesa e Segurança

Joaquim Cabanje

Jornalista

A UNITA, caso vença as eleições de 24 deste mês, preconiza a criação de um parque industrial de defesa e segurança, com tecnologias modernas.

17/08/2022  Última atualização 09H06
© Fotografia por: DR

A pretensão vem expressa no manifesto eleitoral da maior organização política da oposição no país, para quem o empreendimento deverá estar dotado de centros de inovação e desenvolvimento, rede de laboratórios de defesa e segurança e unidades fabris com potencial de produção extra para consumo civil.

A introdução de um sistema de ensino militar para a incorporação de jovens em idade escolar e maximizar o sistema de ensino superior militar para a liderança no estudo das engenharias, tecnologia, ciências da saúde, logística e indústria a nível nacional, também constam dos objectivos desta formação política.

A UNITA no seu manifesto eleitoral planeia elaborar um plano nacional de necessidades de suprimentos para as forças de defesa e segurança, com foco nos consumos que possam ser supridos pela produção nacional.

O partido liderado por Adalberto da Costa Júnior pretende ainda promover e valorizar os órgãos de defesa e segurança do Estado, proporcionando-lhes as melhores condições para o bem estar dos efectivos e para o cumprimento eficaz das missões.

Sob  égide do Governo Inclusivo e Participativo (GIP), a UNITA promete defender a segurança dos interesses nacionais, zonas marítimas e espaço aéreo nacional, sob a jurisdição nacional.

Na agenda da UNITA consta ainda a reconfiguração do conceito de defesa  nacional, no âmbito da globalização, bem como a existência de forças armadas modernas, tecnicamente evoluídas e adaptadas à manutenção de paz e à correcta projecção de forças nos mais variados teatros de operações.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política