Política

UNITA prevê formar Governo em 2022

Adelina Inácio

Jornalista

A UNITA está a mobilizar quadros e a população em geral para reunir votos suficientes que lhe permitam formar Governo, depois das eleições gerais de 2022, afirmou, ao Jornal de Angola, o secretário-geral do partido, quando fazia um balanço sobre o recente périplo pelo leste e centro-sul do país.

30/05/2021  Última atualização 06H30
Sg da UNITA, Álvaro Daniel © Fotografia por: Agostinho Narciso |Edições Novembro
Álvaro Daniel esclareceu que o objectivo, no próximo pleito eleitoral, não é apenas aumentar o número de deputados na Assembleia Nacional, mas também preparar a estrutura do partido para ganhar o controlo do Estado.
A UNITA, disse, igualmente, tenciona duplicar o número de deputados nas províncias em que, nas últimas eleições, elegeu apenas um deputado, nomeadamente Bengo, Benguela, Cabinda, Cuando Cubango, Lunda-Norte, Moxico, Namibe e Zaire.

"Vamos ter que fazer algum esforço para podermos ter mais do que o dobro. Não nos agrada ter apenas dois deputados nessas províncias”, disse, apontando as províncias da Lunda-Sul e Bié, onde, à semelhança do Huambo e Luanda, conseguiu eleger, no pleito de 2017, dois dos cinco deputados possíveis em cada círculo provincial.

O secretário-geral da UNITA reconheceu que as eleições de 2022 serão um "combate político forte", mas disse acreditar na vitória do partido, e que a expectativa é grande. "É crescente o nível de popularidade do partido, fundamentalmente por causa do líder, Adalberto Costa Júnior. Leva-nos a crer que, com um esforço incrementado, a todos os níveis, e havendo clareza em todos os processos, certamente que a UNITA pode fazer história em 2022”, afirmou.

Relativamente ao périplo pelo leste e ao centro-sul, esclareceu que se enquadra na avaliação, ajuda e controlo do partido. Estas visitas, disse, têm ajudado a UNITA a compreender a relação do partido com a população para efeito de advocacia perante os problemas que vivem, "a fim de servirmos de porta-voz a quem de direito”.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política