Política

UNITA pede análise profunda dos aspectos divergentes

Edna Dala

Jornalista

A UNITA espera que a reapreciação da Lei orgânica das Eleições Gerais, devolvida recentemente pelo Presidente da República à Assembleia Nacional, sirva para expurgar aspectos conflituosos contidos no documento.

20/09/2021  Última atualização 09H49
Presidente da UNITA: Adalberto Costa Junior © Fotografia por: Paulo Mulaza | Edições Novembro
"A expectativa do país é que sejam expurgadas do conteúdo desta lei os aspectos conflituosos, não transparentes e todos aqueles que não promovem  igualdade de oportunidades", afirmou ontem o presidente da UNITA, Adalberto Costa Júnior, no encerramento da II reunião ordinária do Comité Nacional Região-Norte da JURA.


O político disse ser expectativa do seu partido que a Assembleia Nacional assuma com patriotismo, a possibilidade da existência de uma lei eleitoral universal que  beneficie a todos.


Para o líder da UNITA, é importante que não se façam alterações das leis "numa altura em que basicamente o jogo já está a entrar na sua fase intermédia”. 


Para Adalberto Costa Júnior, "o desafio de sermos um Estado soberano e Democrático é muito grande”. Salientou que a UNITA ainda mantém a esperança de que Angola "regresse à realidade de um país livre, democrático, de igualdade de oportunidades, pluralidade e com processos eleitorais estáveis".


     Adalberto Costa Júnior apelou aos cidadãos no sentido de actualizarem o cartão de registo eleitoral, numa fase em que o país vai contar, pela primeira vez, com o processo de votação  dentro e fora do país. "Todos aqueles que possuem cartão de eleitor devem actualizá-lo, pois o registo é a etapa mais importante para a preparação de um país para as eleições".

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política