Política

UNITA manifesta vontade de contribuir nas reformas das instituições do Estado

A UNITA manifestou, sexta-feira(18), em Luanda, disponibilidade para ajudar o Executivo a realizar as reformas políticas, económicas e sociais necessárias para o crescimento sustentável do país e as melhores soluções que permitam implementar uma governação que vá de encontro aos anseios e bem-estar dos cidadãos.

19/11/2022  Última atualização 08H05
Adalberto Costa Júnior defende mais investimentos sociais © Fotografia por: Eduardo Pedro | Edições Novembro
Falando na abertura da segunda reunião ordinária da Comissão Política da UNITA, Adalberto Costa Júnior, destacou, entre outros assuntos, a situação actual do país nos mais variados domínios, bem como a perspectiva de acções para vencer os próximos desafios políticos, sobretudo, o pleito eleitoral de 2027.

"Para realizar reformas é preciso vontade política, sacrifício e entrega. Vamos fazer tudo para ajudar quem se encontra na governação ir de encontro às esperanças e expectativas do nosso povo”, afirmou o líder da UNITA durante o encontro, no Complexo SOVSMO, no município de Viana.

Considerou "muito grande” o desafio do seu mandato, salientando que a UNITA tudo fará para tornar Angola mais democrática, com um poder local e reformas que permitam o crescimento da economia, em prol do bem-estar dos cidadãos.

 Adalberto Costa Júnior lembrou que Angola apenas alcançará o pleno crescimento económico e social com instituições democratizadas e políticas baseadas no Estado de Direito.

 Segundo o político, os especialistas falam em cerca de 11 mil milhões de dólares acumulados  no Tesouro, do diferencial entre o preço fixado no OGE e de venda, que não estão visíveis no orçamento e livres de prestações de contas pelo Executivo.

 "Não foi feito nenhum orçamento rectificativo”, indicou o político, para quem "Angola passou ao lado de uma grande oportunidade de desenvolvimento com o bolo petrolífero que teve no início do ano 2000”, recordou.

 O presidente da UNITA defendeu mais investimentos em infra-estruturas, bens e serviços que sirvam os angolanos e garantam maior segurança às gerações vindouras, a criação de empregos para os jovens, maior aposta na mulher e um programa estratégico para combater a pobreza em todo o território.

 Novos desafios

O secretário nacional para a Comunicação e Marketing da UNITA, Marcial Dachala, afirmou ontem, em Luanda, que o partido está sereno e determinado para novos desafios, com destaque para o congresso em 2025 e as próximas Eleições Gerais em 2027.

Em declarações à imprensa, à margem da segunda reunião ordinária da Comissão Política da UNITA, que decorre no município de Viana, Luanda, o político declarou que o partido está sereno e não abrirá mão na luta pelo bem-estar do povo angolano.

 A realização do encontro dos membros da Comissão Política, segundo Marcial Dachala, visa, sobretudo, proceder ao balanço geral do que se fez até ao momento e perspectivar os desafios para o futuro.

 Para a melhor organização e andamento dos trabalhos, os membros da UNITA foram distribuídos em comissões técnicas e especializadas. A campanha eleitoral até à fase dos resultados das Eleições Gerais de Agosto, as metodologias para projectar todos os passos que o partido dará, face aos desafios futuros, constam da ordem de trabalhos do encontro.

 De acordo com o secretário nacional para a Comunicação e Marketing da UNITA, as autarquias são vitais para o desenvolvimento do país, enfatizando que "cada etapa da vida que Angola e o mundo estiver exigirá um pensamento adequado".

 A segunda Reunião Ordinária da Comissão Política da UNITA contou com a participação de mais de cem membros.




Garrido Fragoso
e  Mazarino da Cunha

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política