Política

UNITA manifesta aposta na vitória nas eleições gerais

O dirigente da UNITA Abílio Kamalata Numa manifestou, sábado (9), no Huambo, a aposta do partido na vitória eleitoral em 2022.

11/10/2021  Última atualização 05H40
Político trabalhou no Huambo © Fotografia por: Vigas da Purificação | Edições Novembro
Kamalata Numa que, até ao acórdão que anulou o último congresso da UNITA, era o secretário nacional do partido para os Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, falava no final de uma marcha por eleições livres, justas e transparentes, promovida pelo secretariado provincial do Huambo.

 O político reafirmou a aposta da Frente Patriótica Unida (composta pela UNITA, Bloco Democrático e o projecto político PRA-JA Servir Angola), proclamada no dia 5 deste mês, na resolução dos problemas da população.

Abilio Kamala Numa debruçou-se, igualmente, sobre o acórdão 700/21, do Tribunal Constitucional , que anulou o XIII Congresso da UNITA e a eleição de Adalberto Costa Júnior no cargo de presidente do partido. Para ele, a decisão do TC, divulgada na quinta-feira, é "ingerência nos assuntos internos dos partidos políticos".

 Entretanto, Isaías Samakuva, que em função do acórdão, reassumiu a liderança da UNITA, afirmou, em conferência de imprensa, um dia após à decisão do TC, que o partido conformava-se com a decisão do TC. Samakuva acrescentou que a UNITA vai aproveitar a oportunidade para "mobilizar a cidadania e consolidar o movimento social, rumo à construção de um verdadeiro Estado de Direito e Democrático em Angola".  


A marcha por eleições livres, justas e transparentes, que percorreu algumas artérias da cidade do Huambo, foi marcada pela leitura de uma nota de repúdio da Frente Patriótica Unida.
Nas últimas eleições de 2017, a UNITA obteve, na província do Huambo, 213.858 votos, que lhe permitiu eleger dois deputados, dos cinco possíveis.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política