Política

UNITA defende mais sensibilização

Garrido Fragoso

A UNITA recomendou ontem, em Luanda, o incremento das campanhas de sensibilização sobre o Registo Eleitoral Oficioso, bem como a diversificação dos meios e métodos de educação cívica para o voto, nas eleições gerais agendadas para este ano.

22/01/2022  Última atualização 06H45
Secretário-geral defende mais campanhas junto da população © Fotografia por: João Gomes | Edições Novembro
Em conferência de imprensa, na sede provincial do partido, o secretário-geral, Álvaro Daniel, defendeu melhor acompanhamento aos funcionários dos Balcões Únicos de Atendimento ao Público (BUAP), e mais informação sobre a localização dos mesmos.

Álvaro Daniel, que se manifestou preocupado com a fraca afluência dos cidadãos aos BUAP, devido, sobretudo, à distância que separa estas instituições às zonas de residência, defendeu a instalação destas em áreas de maior concentração populacional (mercados, paragens de taxis e centros comerciais).
Recomendou ainda maior sensibilização dos vendedores ambulantes e trabalhadores ocasionais sobre a importância do registo eleitoral e mais transparência na contratação das empresas que gerem o processo.

A maior organização política da oposição no país também defendeu mais comunicação entre os partidos e a sociedade civil interessada em fiscalizar o processo.
Como exemplo da falta de educação cívica para o voto, Álvaro Daniel referiu que no Distrito do Kikolo, arredores de Luanda, muitos cidadãos nunca ouviram falar de um BUAP, tão pouco da relação existente entre a actualização do registo e a obtenção do cartão do munícipe. Salientou ainda que outros não sabem, sequer, com que documentos devem votar nas eleições gerais deste ano, facto que se replica  em muitas partes do país.

Sublinhou o facto de na cidade do Lobito (Benguela) existir apenas um BUAP na Restinga e outro na Nova Centralidade, levando as populações da parte Alta da Cidade (Alto Liro, Bela Vista, etc.) terem de desembolsar 800 a 1000 Kwanzas para se deslocarem aos postos com o objectivo de procederem ao registo.

Outra preocupação levantada ontem pelo secretário-geral da UNITA prende-se com "alguma tendência, nos últimos dias, de radicalização do discurso por parte de altas figuras do Estado e do partido governante", na sequência da greve dos taxistas, a 10 deste mês.

O secretário-geral da UNITA defendeu, por isso, maior diálogo e concertação permanentes entre os cidadãos e os que têm a responsabilidade de governar. 




Cidadãos chamado ao registo em Caxito
A campanha de sensibilização e mobilização dos cidadãos sobre a actualização do registo eleitoral marcou a abertura do Ano Político 2022 do Secretariado Provincial da UNITA, na província do Bengo.

De acordo com o secretário para organização da UNITA no Bengo, Alcaide Rodrigues, a mobilização deve absorver, nesta fase, todos os esforços do partido, acrescentando que no ano eleitoral se destaca um programa de emergência nacional assente em sete eixos fundamentais, em que a reestruturação da economia e de uma nova cultura de governação constituem os principais pontos.

No acto de mobilização dos cidadãos para a actualização dos dados eleitorais, realizado quinta-feira, disse que o seu partido trabalha para oferecer um país mais estável, justo, desenvolvido e democrático para os angolanos. Por isso, disse que acredita que 2022 será o ano da alternância do poder.
Lembrou que 2021 foi um ano muito difícil, em que se agravaram as situações de desemprego, fome e pobreza

Alfredo Ferreira | Caxito



Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política