Política

UNITA apresenta estrutura de mobilização para Centro

Quadros e militantes da UNITA da região Centro, que compreende as províncias do Cuanza-Sul e de Benguela, foram informados, este sábado, na cidade do Sumbe, da estrutura orgânica que vai dirigir a campanha eleitoral.

03/07/2022  Última atualização 08H04
© Fotografia por: DR

A apresentação foi feita durante o seminário político, orientado pelo coordenador da IV Região Eleitoral, Franco Marcolino Nhany, que descreveu aos presentes os passos dados pelo partido, desde a realização do XIII Congresso ao actual momento.

O director-geral da campanha é Lucamba Paulo Gato, coadjuvado por Álvaro Chikuamanga Daniel e por Américo Kolonha Chivukuvuku, este último do Projecto PRA-JÁ Servir Angola, bem como de Muata Sebastião, do Bloco Democrático.

Tem ainda as direcções nacionais de controlo e defesa do voto, mobilização eleitoral, finanças, tecnologias de informação, pesquisa e análise, comunicação e imagem, publicidade, logística e transportes e serviços gerais.

Já ao nível provincial, Franco Marcolino Nhany fez saber que a estrutura vai ser dirigida pelos actuais secretários provinciais da UNITA no Cuanza-Sul e Benguela, Armando Manuel Kaquepa e Adriano Sapingala, coadjuvados por três colaboradores, representando as duas formações e um projecto político.

Quanto aos municípios, o dirigente debruçou-se, igualmente, na composição de uma direcção orientada por um director municipal, a ser coadjuvado por representantes de um projecto político.

Franco Marcolino Nhany afirmou que, no âmbito da vocação de unidade nacional, a UNITA apostou numa máquina eleitoral vitoriosa, ao optar pela plataforma política que congrega o Partido Bloco Democrático e o Projecto PRA-JÁ Servir Angola.

Anunciou que a operacionalização da campanha eleitoral, na base de regiões eleitorais, constitui a forma que o partido considera mais conveniente, a julgar pela dimensão territorial do país e garante a actuação mais próxima junto dos eleitores.

Franco Marcolino Nhany acrescentou que a direcção assumiu o compromisso de demonstrar por actos que o partido fez a revisão do plano estratégico, com metas e objectivos claros, para vencer as eleições gerais em Agosto, com maioria absoluta.

"Não basta querer e sonhar. É preciso agir no quotidiano de trabalho e luta, estando ao nível da direcção central definida uma estratégia com uma visão clara, missão de valores”, vincou.


Carlos Bastos | Sumbe

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política