Economia

Unidade de Gestão da Dívida emite 90 mil milhões em títulos

A Unidade de Gestão da Dívida (UGD) anunciou a emissão de 90 mil milhões de kwanzas em títulos públicos denominados em moeda nacional no mês de Dezembro, quando também ocorre uma emissão títulos situada em oito milhões de dólares, os mesmos valores absorvidos por essas operações em Novembro.

09/12/2020  Última atualização 19H38
© Fotografia por: DR
A "Programação de Emissão Mensal (Dezembro 2020)”, um documento disponível no portal da UGD na Internet a descrever estas operações, consultado, nesta quarta-feira, pelo Jornal de Angola, prevê a colocação de 30 mil milhões de kwanzas em Bilhetes do Tesouro em parcelas iguais de 10 mil milhões nas maturidades de 91, bem como 182 e 364 dias.  
Os outros 60 mil milhões correspondem a Obrigações de Tesouro Não Reajustáveis (OT-NR), em quatro parcelas de 15 mil milhões de kwanzas cada, nas maturidades de ano e meio, dois, três e quatro anos. A emissão de Obrigações do Tesouro em Moeda Externa (OT-ME), de oito milhões de dólares, é repartida em títulos com as maturidades de dois, três, quatro e cinco anos e juros de 3,70, 4,50, 5,20 e 5,90 por cento ao ano.
A UGD declara que os títulos em moeda nacional são transaccionados ao ritmo de quatro sessões por semana, enquanto os denominados em dólares são-no em uma sessão semanal, ao longo do período que situado entre 2 e 31 de Dezembro.
Números divulgados nesta quarta-feira pela Angop indicam que, de Janeiro Setembro, as emissões de Obrigações do Tesouro em Moeda Nacional totalizaram 1 221 mil milhões de kwanzas, em que 276,23 mil milhões foram emitidos em leilão, 134,47 milhões foram emitidos para a regularização de atrasados, 238,66 mil milhões para capitalização de instituições públicas e 275,32 para operação "Swap” do BPC.
Naquele período, a estrutura das Obrigações do Tesouro em Moeda Nacional concentrou-se nas maturidades de três, quatro a sete anos, que representaram 56 por cento do "stock” total, obedecendo critérios de sustentabilidade de dívida pública.  

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia