Economia

União Europeia avalia hoje projectos no Moxico

Os embaixadores dos Estados-membros da União Europeia (UE) iniciam hoje até quinta-feira uma visita de constatação do grau de implementação dos projectos financiados pela comunidade na província do Moxico.

18/02/2020  Última atualização 14H56
DR

A visita tem como objectivo conhecer os projectos de desenvolvimento económico com impacto no crescimento económico de Angola e que contribuam para o bem-estar da população, como é o caso da Cidadela Jovens de Sucesso.
Criado com o intuito de dotar os jovens das áreas suburbanas de conhecimentos e habilidades técnicas para a confecção de produtos e serviços, o projecto Cidadela Jovens de Sucesso é integrado por Escolas Rurais concebidas para proporcionar aos cidadãos habilidades e formas de superação, mesmo sem qualificação.
Adolescentes a partir dos 14 anos, sobretudo aqueles privados de amparo familiar, são o público-alvo da “Cidadela Jovens de Sucesso”. O projecto abrange igualmente indivíduos sem qualquer formação, pessoas à procura do primeiro emprego, portadores de deficiência ligeira, desmobilizados do Exército e outros em situações de vulnerabilidade.
Os alunos têm direito à livre escolha e à prática da profissão que pretendem exercer, a fim de aumentar e diversificar a capacidade formativa. Depois do ciclo formativo, os formandos têm oportunidade de criar o próprio negócio, viabilizando assim a sua inserção social, o bem-estar da sua família, bem como a sua identidade social.
O programa da visita prevê um encontro com o governador provincial do Moxico, Gonçalves Muandumba, além de reuniões com representantes de vários sectores, como a Câmara de Comércio e Indústria e representantes da sociedade civil.
A delegação visita, igualmente, um campo de desminagem, no Canaje, operado pela empresa MAG e um Centro de Acção Social Integrada (CASI), em Lucusse, parte fundamental do projecto Apoio à Protecção Social em Angola (APROSOC). O centro foi financiado pela UE para fortalecer as intervenções de acção social para apoiar as pessoas em situação de maior vulnerabilidade social em Angola, tais como idosos, pessoas com deficiência, mulheres e crianças.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia