Cultura

União dos Artistas Plásticos pede mais trabalho e unidade

Francisco Pedro

Jornalista

O reforço da unidade entre os artistas plásticos e a aposta no trabalho constante são as duas premissas desejadas à nova direcção da União Nacional de Artistas Plásticos (Unap) pelo escritor Luís Fernando, na cerimónia de tomada de posse, que decorreu, quarta-feira, no Museu de História Natural, em Luanda.

10/09/2021  Última atualização 09H20
Novos órgãos sociais tomaram posse para um mandato de quatro anos em cerimónia realizada no Museu de História Natural © Fotografia por: Edições Novembro
Eleito presidente da Mesa da Assembleia geral da Unap, dia 27 do mês passado, Luís Fernando pediu aos membros da nova direcção para evitarem passar a imagem que a classe não se entende, muitas vezes veiculada pelos órgãos de comunicação social.

"Peço-vos de coração que isso não aconteça aqui”, realçou, tendo defendido que a "unidade da União dos Artistas Plásticos” deve ser "a chave do mandato”, durante o quadriénio 2021/2025, para propiciar maior harmonia entre os membros da classe artística nacional.

O trabalho permanente, independentemente  de nomes que já tenham conquistado o mercado, é outro ponto essencial para Luís Fernando, que advoga ainda mais empenho da parte dos artistas plásticos, de forma a serem reconhecidos pelos feitos. "O trabalho deve ser a arma de combate dos artistas, principalmente os que não vêem de famílias de peso, ou com nomes sonantes”.

Além de Luís Fernando, para a Mesa da Assembleia-geral tomaram posse, também, o vice-presidente, António Tomás Ana "Etona”, e a secretária, Maria Clara Monteiro. Para a comissão directiva, Rosário José Matias "Rós” (presidente), Fernandes de Carvalho "Tozé” (secretário-geral), Belarmino Sebastião (administração e finanças), Didó Miguel Lutete (actividades culturais e intercâmbio) e Filipe Artur Vidal (formação e superação).

O conselho fiscal é constituído por Jacinto Coutinho (presidente), Josefina Manzaila (vice-presidente) e Adão Mussungo (vogal), sendo suplentes Almeida Quinguangua, Ana Suzana David "Kiana”, Mateus Kembo Naputu e Xavier Cequeira.

Fundada a 8 de Outubro de 1977, por um conjunto de artistas plásticos e intelectuais, como Victor Emanuel Teixeira "Viteix”, António Ole, Mendes Ribeiro, Henrique Abranches, a Unap congrega artistas nas modalidades de desenho, pintura, escultura, gravura, tecelagem, fotografia e cerâmica. Actualmente, com representações em várias províncias, com destaque para Benguela, Huambo e Huíla, a Unap tem mais de 400 membros inscritos.

A instituição, sem fins lucrativos e de natureza cultural, trabalha em prol das artes plásticas angolanas, com a realização de exposições individuais e colectivas, conferências, bem como diversas acções de formação.
A Unap tem trabalhado muito com jovens artistas, integrados na Brigada Jovem de Artes Plásticas (BJAP), acompanhados até adquirirem os requisitos necessários para serem admitidos como membros da instituição.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura