Política

Uíge: Rescova indignado com obra paga por duas vezes

O governador do Uíge, Sérgio Luther Rescova, ficou indignado, na sexta-feira, ao se deparar com uma obra acabada e apetrechada, mas que voltou a ser orçamentada, no âmbito do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) da Administração Municipal do Uíge.

10/08/2020  Última atualização 00:00
Joaquim Júnior| Edições Novembro © Fotografia por: Obras do Centro de Saúde do bairro Kilala, na cidade do Uíge, foram concluídas em 2014

Trata-se de um centro de saúde no bairro Kilala, construído entre 2013 e 2014. Tem duas salas de internamento devidamente equipadas, consultórios, sala de armazenamento de medicamentos apetrechada com armários, prateleiras, macas e outros materiais de apoio, orçamentado no valor de 28.008.975,88 kwanzas (vinte e oito milhões, oito mil e novecentos e setenta e cinco kwanzas e oitenta e oito cêntimos).

Desapontado com a situação, Sérgio Luther Rescova, na presença de jornalistas que acompanharam a visita, chamou à razão o administrador municipal do Uíge, Emílio de Castro, que invocou como justificação a necessidade de adaptação do centro médico para Centro Materno Infantil do Kilala. 

Para o espanto do governador e da comitiva que o acompanhou, o espaço onde está erguido o edifício já não tem terreno suficiente para ampliação, porque o recinto está vedado com um muro devidamente gradeado e pintado.

Questionado sobre a razão da duplicidade de pagamento numa empreitada já acabada, o administrador municipal invocou dívidas com a em-presa que executou os trabalhos há mais de sete anos. “A única forma que tínhamos para pagarmos a dívida que temos com a empresa é voltar a orçar a obra, e outra parte do valor para ampliar os serviços na mesma unidade sanitária”, disse o administrador municipal.

Na placa, fixada na empreitada, reza que as obras para a conclusão da construção do Centro de Saúde do Kilala teriam começado no mês de Abril de 2020, com a conclusão prevista para Dezembro do presente ano. As obras estariam a cargo da empresa GAP e fiscalizadas pela MJS. 

Emílio de Castro confirmou a liberação do actual orçamento para a conta da empresa, aguardando-se o início das obras a qualquer momento. O que não se sabe ao certo é o tipo de trabalho que a empresa deverá realizar no futuro Centro Materno Infantil do Kilala, quando estão cridas as condições para o seu normal funcionamento. O governador garantiu que vai trabalhar com os órgãos de direito para repor a transparência na gestão dos fundos alocados para aquele equipamento social.

Ruas terraplanadas

As ruas do interior da cidade capital estão a conhecer melhorias fruto do trabalho de acomodação do tráfego e terraplanagem que está a ser executado pela Brigada de Conservação e Terraplanagem de Estradas do Uíge, numa extensão de 27 quilómetros. As obras, que já melhoraram os acessos aos bairros periféricos, como Candombe-Novo ao Mongo-a-Liema, Cemitério e Cacole, receberam a visita do governador Sérgio Luther Rescova, que foi constatar o seu andamento.

Neste momento, a brigada está a intervir no acesso que liga os bairros Candombe-Velho e Bem-Vindo, num percurso de seis quilómetros.
António Vicente Lima, director do Gabinete Provincial de Infra-Estruturas, disse que a equipa técnica tem o compromisso de intervir em 27 quilómetros nos arredores da cidade do Uíge, antes do início das chuvas.

O gestor informou que, neste momento, decorrem os trabalhos de saneamento dos solos, colocação de baturite para a concretização da terraplanagem para facilitar a circulação, enquanto se espera pelos trabalhos de asfaltagem. A rua que liga o Candombe-Velho ao Bem-Vindo, para além dos trabalhos de terraplanagem a cargo da Brigada de Conservação e Terraplanagem das Estradas do Uíge, consta do plano de asfaltagem, cujas obras serão executadas pela empresa CRBC, logo que sejam concluídos os procedimentos administrativos para adjudicação.

“Enquanto se aguarda pelo arranque das obras definitivas, avançamos com os trabalhos de terraplanagem para permitir a fluidez no trânsito no interior das referidas periferias, antes do início das chuvas”, referiu. Até ao momento, disse, já foram intervencionados, pela Brigada de Conservação e Terraplanagem das Estradas, 12 quilómetros no município sede do Uíge e 17 no município do Negage, bem como 30 na estrada que liga Sanza Pombo ao município do Buengas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política