Política

UE disponibilizou 20 milhões de euros

Arcângela Rodrigues

Jornalista

Vinte milhões de euros é o montante que a União Europeia (UE) disponibilizou ao Governo angolano para a execução do programa Revitalização do Ensino Técnico e Formação Profissional (RETFOP), informou, ontem, em Luanda, a representante daquela organização continental em Angola.

18/02/2021  Última atualização 09H25
© Fotografia por: DR
Jeannette Seppen prestou esta informação à imprensa no final de um encontro de cortesia com a Comissão Interministerial para a Implementação do Programa Nacional de Formação de Quadros, coordenada pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, durante o qual feito o balanço das actividades desenvolvidas no âmbito do projecto.   Seppen afirmou que o RETFOP já existe há algum tempo e visa a formação de capital humano mais qualificado e produtivo, bem como "a promoção do emprego e da empregabilidade”.

Lembrou que o ensino técnico profissional é a área prioritária no âmbito do acordo entre a UE e o Governo de Angola. O que se pretende, segundo a diplomata, é investir em empregos sustentáveis que tenham como foco o apoio à educação e desenvolvimento de competências, com vista a garantir a empregabilidade e o cumprimento da Agenda 2030 das Nações Unidas, sobretudo o Objectivo do De-senvolvimento Sustentável nº8, relativo ao emprego.Jeannette Seppen sublinhou que "um dos aspectos interessantes deste programa, a ser implementado em Luanda, Benguela, Huambo, Moxico, Uíge e Huíla, é o apoio aos estágios profissionais”.  

O ministro de Estado para a Coordenação Económica revelou que, no âmbito do RETFOP, já foi possível melhorar o sistema de produção de estatísticas, sobre o ensino técnico profissional em Angola, o que permitiu "melhor conhecimento sobre as reais necessidades do país neste domínio”.  De igual modo, disse Manuel Nunes Júnior, está a decorrer, nas províncias de Luanda e do Huambo, um processo de formação de professores que vão assegurar as funções docentes nas escolas do ensino técnico-profissional. Estão, igualmente, a ser equipados os laboratórios e oficinas dos centros de formação com meios técnicos e tecnológicos modernos. Foi, também, criado um programa de estágios profissionais que está a facilitar a integração dos formandos no mercado de trabalho.   A parceria com a UE, disse, permitirá a garantia de melhor qualificação da mão-de-obra a ser formada neste domínio e, deste modo, assegurar os níveis mais altos de empregabilidade dos jovens.    
Programa bastante valioso 
A ministra da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, Teresa Dias, considerou que o programa tem sido bastante valioso para o sector que dirige.Informou que o Centro Integrado de Formação Tecnológica (CINFOTEC) do Rangel vem desenvolvendo esta acção, com 30 formadores, para que estes, depois, possam formar outros 1.200.Um dos trabalhos que continua a ter sucesso, sublinhou, é o de estágios profissionais, que contou com o apoio de 300 mil euros da UE para beneficiar 600 estagiários. Teresa Dias revelou que estão a ser preparadas as condições para o arranque, até ao próximo mês, dos centros de emprego.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política