Mundo

Ucrânia condena primeiro soldado russo por crimes de guerra

Vadim Shishimarin, acusado de ter morto um civil desarmado de 62 anos à beira de uma estrada numa vila na região de Sumy, foi condenado a prisão perpétua, segundo noticiou hoje o site Notícias ao Minuto.

23/05/2022  Última atualização 13H25
Vadim Shishimarin, é o primeiro soldado russo a ser condenado por crimes de guerra na Ucrânia. © Fotografia por: DR
O jovem esteve a ser julgado nas últimas semanas em kiv por suspeita de violações das leis e regulamentos de guerra.

Vestido com uma camisola de capuz azul e cinza, Shishimarin assistiu aos procedimentos em silêncio, no interior de uma caixa de vidro na sala do tribunal e não expressou qualquer emoção enquanto o veredito era lido. 

O tribunal alegou que os testemunhos e materiais recolhidos permitiram provar que o jovem atirou sobre um civil que não estava armado e que o fez de propósito, embora a vítima, um homem de 62 anos, não tenha demonstrado qualquer agressividade.
Shishimarin atirou sobre ele "três ou quatro vezes", segundo o tribunal, sendo que uma das balas atingiu-o na cabeça. 

O jovem de 21 anos tornou-se o primeiro soldado russo a sentar-se no banco dos réus de um tribunal ucraniano para ser julgado por crimes cometidos desde a invasão russa.

O comandante declarou-se, na quarta-feira passada, culpado pelo homicídio de Oleksandr Shelipov, de 62 anos, na região de Chupakhivka, em Sumy, a 28 de Fevereiro.

"Estou muito arrependido. Estava nervoso, na altura; não queria matar... foi assim que aconteceu", referiu, citado pela Reuters.
O Kremlin ainda não comentou a sentença.

O primeiro julgamento de crimes de guerra relacionado com o conflito entre a Rússia e a Ucrânia teve início no dia 13 de Maio.
Lançada a 24 de Fevereiro, a ofensiva militar na Ucrânia já matou mais de três mil civis, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), que alerta para a probabilidade de o número real ser muito maior.

O conflito causou ainda a fuga de mais de 13 milhões de pessoas, das quais mais de seis milhões para fora do país, de acordo com os mais recentes dados da ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo