Mundo

Tunísia: Presidente contra presença de observadores estrangeiros nas eleições

"Não somos um Estado sob ocupação para que nos possam enviar observadores", afirmou Kais Saied, após demitir o primeiro-ministro e suspender o parlamento.

13/05/2022  Última atualização 12H30
© Fotografia por: DR
O Presidente tunisino manifestou-se contra a presença de observadores estrangeiros nas próximas eleições na Tunísia, durante a tomada de posse de novos membros da Autoridade Eleitoral que nomeou.

Não somos um Estado sob ocupação para que nos possam enviar observadores”, disse Kais Saied.

Após meses de impasse político, Saied, eleito em finais de 2019, tomou o poder total a 25 de Julho, após demitir o primeiro-ministro e suspender o parlamento dominado pelo partido de inspiração islâmica Ennahdha, antes de o dissolver em Março. Numa agenda destinada a tirar o país da crise política, Saied marcou um referendo sobre emendas constitucionais para 25 de Julho.

A 22 de Abril, também chamou a si o poder de nomear três dos sete membros da autoridade eleitoral, incluindo o presidente.

Os opositores de Saied acusam-no de tentar criar um órgão eleitoral à medida, antes do referendo e das legislativas.

As eleições na Tunísia, desde a revolução de 2011 que pôs fim à ditadura, têm sido supervisionadas por organizações não-governamentais locais e internacionais.

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo