Política

Tribunal nega pedido de liberdade condicional de Augusto Tomás

O Tribunal Supremo negou o pedido de liberdade condicional do arguido Augusto da Silva Tomás, ex-ministro dos Transportes, por ter atingido a metade da pena única de sete anos e um mês de prisão imposta pela prática de vários crimes.

06/10/2022  Última atualização 06H10
Tribunal Supremo, Augusto Tomás © Fotografia por: Edições Novembro

A sentença da 1ª Secção da Câmara Criminal do Tribunal Supremo, datada de 27 de Setembro último e assinada pelo juiz de direito Daniel Modesto Geraldo, adianta que esta decisão surge porque a pena "é branda para condutas tão graves” como a assumida pelo antigo gestor público Augusto Tomás.

Segundo o Tribunal Supremo, estas condutas têm impossibilitado Angola e muitos outros países, a nível mundial, de terem crescimento económico que viabiliza os Executivos de criarem melhores condições de vida aos seus povos”.

"A liberdade deste tipo de criminosos a meio da pena não se mostra de todo compatível com a paz social e tranquilidade pública que se exige para a concessão da liberdade condicional", acrescenta a sentença, citada, ontem, pela Rádio Nacional de Angola.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política