Política

Tribunal começa a ouvir declarantes do “Caso RR”

A segunda sessão do julgamento do “caso RR”, que envolve o ex-director do gabinete provincial da Educação, Raimundo Ricardo, e mais quatro co-arguidos, retoma, hoje, com a audição dos declarantes arrolados ao processo.

05/10/2021  Última atualização 09H20
© Fotografia por: DR
O Ministério Público acusa os arguidos da prática de crimes de peculato, branqueamento de capitais, fraude contra a segurança social, corrupção passiva, abuso de poder, tráfico de influência e associação criminosa.

Entre os 13 declarantes, destacam-se a ex-chefe do Departamento das Finanças e Recursos Humanos daquele gabinete, Telma Gouveia, que, na altura dos factos, tinha supostas competências para celebrar contratos, bem como o actual chefe de departamento do Ensino Geral, Hermenegildo Simão.

Durante a audiência poderão, igualmente, ser ouvidos alguns directores municipais da Educação e de escolas que, alegadamente, beneficiaram dos serviços prestados pelas empresas arroladas ao processo.

A primeira sessão de audiência e julgamento, dirigida pelo juiz Francisco Chipendo, foi na última terça-feira e ficou marcada com a leitura da acta da acusação e o interrogatório a cinco arguidos arrolados.

Raimundo Ricardo, ex-director da Educação do Moxico, entre 2018 e 2020, admitiu ter recebido três milhões de kwanzas do sócio-gerente da empresa Vladigir, contratada para prestar serviços que nunca foram concretizados. O réu é acusado da prática dos crimes de peculato, branqueamento de capitais, corrupção passiva, abuso de poder, crimes de tráfico de influência e associação criminosa.

De acordo com o Ministério Público, Raimundo Ricardo terá autorizado várias ordens de saque beneficiando três empresas privadas, com um montante equivalente a mais de 64 milhões de kwanzas, entre 2018 e 2019, por serviços que supostamente não foram prestados.

Segundo a Angop, entre as empresas arroladas ao processo, consta a Frederico Lucas Lda, que terá beneficiado mais de 21 milhões de kwanzas para a reabilitação e reparação de carteiras e da escola do ensino primário Nº 154, no bairro Zorró.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política