Mundo

Tribunal “chumba” pedido de Jacob Zuma

O Tribunal Superior de Pietermaritzburg, Sudeste da África do Sul, indeferiu, esta terça-feira(26), o pedido do ex-Presidente Jacob Zuma para o afastamento do procurador público Billy Downer do seu processo por corrupção pública.

27/10/2021  Última atualização 06H30
Zuma queria o afastamento do procurador do seu processo © Fotografia por: DR
O juiz sul-africano, Piet Koen, rejeitou o pedido de "recurso especial” de Zuma ordenando a continuação do julgamento do ex-Chefe de Estado por corrupção pública.

"É no interesse de todas as partes, o acusado, o Estado representando o público em geral, que este caso seja resolvido o mais breve possível porque já se arrastou por imenso tempo, julgo que todos querem certezas de uma for-ma ou de outra”, adiantou o juiz sul-africano.

O início do julgamento ficou agendado para 11 de Abril de 2022, disse à Lusa o advogado Mthunzi Mhaga, da Autoridade de Procuradoria Nacional (NPA), no âmbito do Ministério Público.

Jacob Zuma, que esteve presente na sala do tribunal, reclamava o afastamento de Downer de liderar o processo de acusação do NPA, acusando o advogado sul-africano de ser "tendencioso” contra ele.

O ex-Presidente tentou, também, ser absolvido das acusações de corrupção que enfrenta na Justiça sul-africana. Jacob Zuma apresentou, na semana passada, uma queixa contra o procurador Billy Downer, por ter, alegadamente, divulgado as suas informações médicas.

O ex-Presidente foi posto no mês passado em liberdade condicional médica depois de ter sido preso em 8 de Julho para cumprir uma pena de prisão de 15 meses, por se re-cusar a testemunhar perante a Comissão Judicial ‘Zondo’, que investiga a captura do Estado pela grande corrupção pública durante o seu mandato (2009-2018).

Zuma enfrenta 16 acusações de fraude, suborno e extorsão, relacionadas com a compra de equipamento militar a cinco empresas de armamento europeias, em 1999, quando era vice-Presidente do país.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo