Sociedade

Trabalho da Platinaline reconhecido com diploma de mérito

Roque Silva|

Jornalista

Cinco anos após terem conquistado vários troféus, os representantes angolanos que concorreram aos prémios African Entertainment Awards - United States of America (AEA-USA) ficaram em branco, porém a Platinaline foi reconhecida com um diploma de mérito.

28/12/2020  Última atualização 11H26
Preto Show destacava-se entre os cantores angolanos por ser nomeado em quatro categorias © Fotografia por: DR
Um total de 23 nomes, entre artistas, profissionais de TV/Rádio e blog não conquistou qualquer troféu na VI edição do concurso, cuja divulgação dos vencedores realizou-se há dias, tendo perdido nas 13 categorias para as quais estavam nomeados, sendo que na maior parte delas concorriam entre si. Na gala, transmitida online, a partir de Nova Jérsia, nos Estados Unidos, Preto Show destacava-se entre os angolanos, com quatro nomeações.

Era seguido por Pérola e Chetekela, ambos com duas. Nomeados para uma apareciam nomes como Matias Damásio, Yuri da Cunha, Ary, Edgar Domingos, Yola Araújo, Carla Prata, Mobbers, CEF Tanzy, Titica, Scró Que Cuia, Os Moikanos, Nelasta, Halison Paixão, Gilmario Vemba, Calado Show, Zuleika Wilson, Edilson Pitra e o site Platinaline.

Os angolanos estavam indicados para as categorias de Música do Ano, Melhor Vídeo clipe, Colaboração, Artista Palop Masculino, Artista Palop Feminino, Artista da África Central, Revelação, Grupo da Actualidade, Melhor Grupo de Dança de animação,  Dj, Artista em Ascensão, Melhor Comediante Africano, Melhor Apresentador TV/Rádio e Melhor Influencer/Blog).

A coordenadora do AEA-USA para a lusofonia, Nilza Lima, disse ao Jornal de Angola, que a Covid-19 teve impacto negativo na prestação dos angolanos na VI edição do prémio. Segundo Nilza Lima, os trabalhos a concurso são os que foram produzidos de Outubro passado a Agosto de 2020, mas as restrições impostas pela pandemia limitaram os artistas. "Este ano os artistas foram apanhados em contramão e houve pouca promoção”, referiu, acrescentando que também faltou da parte dos consumidores angolanos votos que pudessem colocar os artistas em vantagens.

Na edição anterior, artistas angolanos estiveram nomeados em 23 categorias, tendo conquistado cinco troféus, designadamente a dupla Yobass, que levou o prémio de Melhor Grupo, Matias Damásio (Melhor Artista do Centro e Oeste de África), Cheketela (Melhor Artista Africano em Ascensão), Glória Silva (Melhor Artista Gospel) e Nilza Lima (Agente Angolana Mais Influente).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade