Economia

Títulos de 35 empresas custam 23,8 mil milhões

Os Títulos de 35 empresas, avaliados em 23,8 mil milhões de kwanzas, foram até final de Maio comprados pelo Banco Nacional de Angola (BNA).

02/06/2020  Última atualização 19H04
Mota Ambrósio | Edições Novembro © Fotografia por: Banco Nacional de Angola criou uma linha de compra de Obrigações de Kz 100 mil milhões

A linha de liquidez criada para garantir o alívio económico às empresas nacionais é de 100 mil milhões de kwanzas. Restam, nesta conformidade, ainda uma disponibilidade de 76,2 mil milhões de kwanzas.

De acordo com a mais recente publicação do BNA sobre os indicadores do programa, ao todo foram realizadas 55 operações de compra de Obrigações do Tesouro na plataforma de negociação da BODIVA.

Os referidos desembolsos do banco central foram feitos através de 10 bancos comerciais, dos quais o BFA e o Atlântico apresentaram uma parte maior. Ou seja, cada um destes bancos ficou com o financiamento para nove e oito empresas, cerca de 48,57 por cento.

Face ao contexto actual que a economia angolana atravessa e em particular o sector empresarial, o Banco Nacional de Angola (BNA) decidiu realizar um inquérito destinado, exclusivamente, às Pequenas e Médias Empresas (PME). O objectivo é de obter informações sobre o impacto da pandemia da Covid-19 na actividade produtiva e comercial, de forma a auxiliar a sua acção.

Ainda em Maio, o Conselho de Administração do Banco Nacional de Angola realizou um encontro com a Associação Industrial de Angola (AIA). Nele, foi analisado o impacto da Covid-19 na economia nacional. Particular realce foi dada às necessidades de o sector produtivo, de forma a aliviar as pressões sobre as tesourarias das empresas e permitir a continuidade das actividades e a manutenção dos postos de trabalho.

Neste mesmo encontro, realizou-se uma breve apresentação do panorama da política monetária e cambial, tendo sido sublinhado o pacote normativo implementado para apoiar o sector produtivo, promovendo a concessão de crédito para a produção nacional.

A perspectiva que se mantém é a de redução da dependência às importações de bens e serviços e contribuir-se para a sustentabilidade das contas externas, além da criação de empregos.

Com o intuito de reforçar a adequada integração da produção nacional, a AIA apresentou um conjunto de propostas e reafirmou o compromisso de participação activa e de apoio às medidas para a estabilização da economia nacional.

Cedência de liquidez

Na semana de 25 a 29 de Maio, os bancos comerciais recorreram à Facilidade Permanente de Cedência de Liquidez na maturidade Overnight (FCO), numa média diária de 26,3 mil milhões de kwanzas. No mesmo período, os bancos realizaram 73 operações de cedência e tomada de liquidez no Mercado Interbancário, numa média diária de 50 mil milhões, perfazendo um total de 248,2 mil milhões. A taxa de juro média foi de 15,50 por cento ao ano.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia