Economia

Textang II expõe tecidos nacionais na edição da Filda/2021

Victorino Joaquim |

Jornalista

A empresa de direito angolano Investimentos e Participações (IEP), vencedora do concurso de gestão da Textang II, participa, de terça-feira (30) até sábado, na Feira Internacional de Luanda (FILDA) 2021, onde deverá expor a produção de tecidos angolanos e os resultados até aqui alcançados nos projectos agro-industriais do Longa (Cuando Cubango), Cuimba (Zaire) e Quizenga (Malanje).

29/11/2021  Última atualização 08H24
Jorge Amaral explica como a IEP está a garantir os avanços das várias iniciativas em execução © Fotografia por: DR
Em entrevista ao Jornal de Angola, o presidente do Conselho de Administração, Jorge Amaral, disse que, neste momento, 250 trabalhadores do segundo turno da Nova Textang II  vão garantir, a partir de Fevereiro do próximo ano, o aumento da produção mensal de 200 para 500 mil metros de tecido.

" A perspectiva é alargar de dois para três turnos de trabalho. Depois disso, começamos a operar no máximo da capacidade da fábrica, 24/24 horas, para atingirmos a produção mensal de 900 mil metros de tecidos”, afirmou.
O gestor fez saber que, trimestralmente, a empresa importa 500 toneladas de algodão do Tchad e Nigéria, num gasto mensal de 2.500 dólares por tonelada.

Quando funcionar no máximo da capacidade, disse Jorge Amaral, a fábrica passará a ter necessidade de matéria-prima de seis mil toneladas/ano, para conseguir cobrir os três turnos.

Em relação à qualidade dos tecidos produzidos pela IEP, o gestor disse ter-se, neste momento, o reconhecimento do mercado nacional e que a empresa possui uma carteira de clientes fidelizados.

"São cerca de 15 empresas nacionais. Todos os dias, a Textang II recebe chamadas destas empresas para comprar tecidos”, conta.

A entrada em funcionamento desta importante fábrica de tecido, que esteve paralisada quase mais de 10 anos, foi resultado de um investimento de 45 milhões de dólares.


Energias renováveis
A construção de parques solares e eólicos constitui a mais recente aposta da IEP, no sector das energias renováveis. O projecto, que ainda está em estudo, prevê fornecer energia à população da zona rural, principalmente, nas localidades em que estão os projectos da empresa.

A perspectiva, segundo Jorge Amaral, é até 2022 dar-se início às obras, depois de identificados as áreas, número de beneficiários, dimensão e orçamento.

A Investimentos e Participações é uma empresa de direito angolano, vencedora do concurso de privatização da Textang II.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia