Entrevista

“Temos de correr atrás dos nossos sonhos”

Influente no domínio da moda, é considerado um dos jovens mais belos do continente africano. O modelo e influenciador digital Eryvaldo dos Reis de Sousa, Mister Angola 2021, representou o país na final do concurso Mister África, que aconteceu no início do mês de Setembro, na cidade de Abidjan, República da Costa do Marfim.

10/10/2021  Última atualização 10H40
Eryvaldo dos Reis de Sousa, Mister Angola 2021 © Fotografia por: DR
Como é que entrou para o mundo da beleza masculina?
Por incrível que pareça, enquanto mais jovem nunca tive interesse por fotos, muito menos o interesse pela beleza. Nunca prestei tanto interesse em coisas de beleza. Tudo começou depois de estar na China a frequentar o ensino superior, onde decidi fazer alguns trabalhos de protocolo em eventos organizados pela Faculdade. A intenção era angariar alguns valores, que pudessem suprir as minhas necessidades, enquanto a minha mensalidade não era enviada. O meu gosto pela moda foi ganhando cada vez mais força. Em finais de 2018, vim para Angola, onde encontrei imagens minhas dos trabalhos feitos na China. As pessoas sugeriram que entrasse para uma agência de moda onde pudesse mostrar todo o meu potencial. Veja que, depois dos inúmeros elogios, não concorri e abdiquei de fazer parte de eventos de moda em 2019 e 2020, por julgar que não estava preparado psicologicamente. Acho que foi das melhores decisões da minha vida. Talvez não tivesse tanto sucesso como agora, em que decidi tomar um novo rumo na minha vida, que é candidatar-me ao Mister Angola 2021. Estou feliz por ter tomado a decisão no momento certo.



Disse que esteve a frequentar o ensino superior na China. Pode dizer em que área?

Estou formado em engenharia de petróleos. Enquanto não aparecia uma oportunidade de ingressar na minha área de formação académica decidi abraçar a moda, com a finalidade de ocupar o meu tempo livre e angariar alguns recursos para o meu auto-sustento. Desde então as coisas vêm fluindo com muita rapidez na minha vida. Concorri em Abril ao concurso Mister Angola 2021, e surpreendentemente ganhei. Comecei a preparação para o concurso Mister África 2021, na Nigéria. Venci o Mister África, para surpresa de muitos africanos.


Como foi parar na China?
Desde pequeno que alimentei o sonho de fazer a formação superior no exterior do país. Acredito ser o sonho de qualquer jovem. Em 2012, decidi candidatar-me a uma bolsa de estudo ao exterior pela Sonangol. Como residia na cidade do Lubango, tive que viajar, por vezes, de forma repentina para Luanda, a fim de fazer os testes ou tratar deste ou daquele documento. Infelizmente dos seis candidatos da Huíla, fui o único excluído. Não baixei a cabeça, por conta do apoio dos meus pais. Depois de vários contactos, localizamos um tio que vivia em Hong Kong. Disse que os cursos não eram caros se comparados com Angola. Decidi ir e para minha surpresa a China foi uma experiência maravilhosa para mim, isto é, no sentido positivo. Foram 5 anos de luta pela adaptação e superação pessoal.


Participaram do concurso cerca de 25 candidatos em representação dos respectivos países. Qual foi o segredo da sua vitória no Mister África 2021?
Foi a seriedade. Nós nos organizamos convenientemente. Estabelecemos metas e objectivos. Dedicação e esforço foram outro dos segredos. Muitos entram para o mundo da moda com a finalidade de ter fama. Não foi isso que aconteceu comigo. Nunca tive a pretensão de ser modelo. Comecei a minha carreira de forma involuntária, sem dar por ela. Assustei já lá estava. A humildade deve ser um dos pilares para quem pretende galgar nestas lides. Repare que, num ápice, venci o Mister Angola e o Mister África. Estudei e pesquisei muito sobre moda e perfil dos candidatos.


Quais serão as suas prioridades como Mister África?
Não é diferente daquilo que tem sido a minha experiência como Mister Angola. Tenho estado a lutar para que possamos ter instituições que nos ajudem a realizar acções no domínio da solidariedade. A minha meta é trazer para o Comité Mister Angola personalidades influentes, capazes de realizar actividades sociais e impactar com acções positivas na sociedade angolana. O meu desafio, enquanto Mister África, também será o mesmo, encontrar entidades dispostas a abraçar as nossas causas e impactar juntos as comunidades mais vulneráveis do continente. Actualmente, trabalho em acções de filantropia. Em dois meses de mandato já fomos a seis províncias do país, onde levamos a nossa solidariedade, donativos e palavras de conforto.


Estamos numa fase em que África vive alguns dos seus piores momentos, por conta da Covid-19... De que forma vai poder levar a boa nova para os diferentes recantos de África?
É verdade. Em fase de pandemia, consegui atingir seis províncias do nosso país. Isso mostra que tentarei fazer o mesmo em torno do continente. Em Dezembro, está agendada a minha ida para a Nigéria e posteriormente para o Ghana. Os outros comités já estão em conversação para que tudo esteja devidamente delineado, para que tudo corra bem e possamos estar presentes em diferentes países do continente.


Por que ir à Nigéria e Ghana logo no início do seu mandato como Mister África?
A Nigéria por ser detentora da patente do concurso Mister África. O objectivo é ser apresentado oficialmente ao Comité e daí darmos o pontapé de saída nas nossas acções. Deixa acrescentar que farei algumas acções de carácter filantrópico naquele país. As acções não irão diferenciar muito do que já tenho feito em Angola. Vamos escolher um centro, onde iremos fazer doação, levar alegria. Da minha agenda para o Ghana consta uma actividade da marca de automóveis alemã BMW. Será marcada também com um desfile de moda, numa plataforma gigantesca.


Angola é um país pertencente aos Palop. Como é que tem traçado o seu cronograma de actividades para este grupo de países?
Estou há duas semanas desde que fui eleito e muita coisa está a ser delineada pela minha equipa. Como deve saber, isso requer tempo e recursos. Estamos a trabalhar com o Comité Mister Angola e África para que nos próximos tempos da minha agenda constem visitas de trabalho a alguns desses países. Falo de países como Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Moçambique. Não iremos deixar de parte outros países.


É considerado o homem mais belo de África. Nasceu na província da Huíla...
É verdade. Nasci na cidade do Lubango, a capital da província da Huíla. Desde a minha eleição ainda não tive a oportunidade de visitar a minha terra natal, por conta dos diferentes compromissos. Gostaria de revelar, em primeira mão, que ainda nesta primeira quinzena de Outubro estarei a visitar a minha terra natal. Estamos a criar todas as condições necessárias para que as coisas corram da melhor maneira possível. Durante a visita, irei cumprir uma agenda como Mister Angola e Mister África. Para além da doação, farei uma palestra com os  jovens local. Gosto de ter contacto com os jovens de cada uma das províncias que visito.


Disse que desde a sua eleição será a sua primeira visita a Huíla. Tem estado a receber notícias e dicas sobre as reacções em torno do seu mandato?
Tenho recebido muito apoio dos meus conterrâneos. Nasci e cresci na Huíla. Tenho estes e outros valores em conta por eles. Todos os dias, chegam-me mensagens de apoio das mais diferentes partes da província. Isso é muito bom. Farei questão de transmitir e alertar para que cada um dos habitantes da Huíla tenha uma acção filantrópica. Quero tornar a Huíla numa zona onde a filantropia reine.


O mundo da moda muitas vezes é confundido com imundícies. Fale da reacção dos seus pais, quando se aperceberam da sua decisão de ser modelo ou Mister Angola?
É verdade. Eles nunca concordaram comigo. Estiveram sempre cépticos quanto à minha entrada no mundo da moda. Sabe que é frustrante para um pai que lutou para formar o filho e este não abraça a área de formação. É o meu caso. Vi em cada olhar dos meus pais uma preocupação permanente. Quando se aperceberam que estava a fazer trabalho de moda sentiram-se ameaçados e muito preocupados. A cada dia que foi passando foram se adaptando à minha nova realidade. O meu pai só agora vai se adaptando ao meu novo estilo de vida. A minha mãe foi a pessoa que mais me apoiou. Fez campanha no seu local de trabalho para que as pessoas votassem em mim.


Qualquer um de nós alimenta um sonho. O que gostaria ser para além de Mister África?

Não me considero um jovem muito ambicioso. Conformo-me com o pouco. Concluir os estudos e ter a minha própria renda mensal foram sempre as minhas metas. Sinto-me feliz por estar a caminhar para que tudo dê certo. Como Mister África, tenho uma fonte de financiamento mensal, enquanto que, como Mister Angola, nós estamos a tentar encontrar instituições que possam dar sustentabilidade mensal para o Mister.


Poucos homens na sua condição assumem relacionamentos por serem muito cobiçados. Tem namorada?
É verdade. Quando fazia trabalhos como modelo fui bastante aliciado por mulheres. Desde que fui eleito Mister Angola e mais tarde Mister África, noto um certo distanciamento das mulheres. Elas estão cada vez mais acanhadas e a pensarem que alguma coisa mudou em termos de personalidade. Não. Nada disso, pois não é o meu caso. Tenho uma namorada que me apoia sempre que pode, nesta caminhada. Reservo muito o lado privado dela e não concordo com a sua exposição pública.


Já pensou em oficializar a sua relação amorosa?

Claro que já! A nossa relação já é oficial a nível familiar e de amigos próximos. Para o mundo, faremos questão de anunciar publicamente assim que as condições permitirem. Estou focado no meu mandato como Mister Angola e Mister África. Depois disso, iremos tomar uma decisão sobre a oficialização da nossa relação.


Está envolvido num mundo dinâmico em termos de roupas e perfumes. Tem uma marca autorizada em termos de roupas?

É inevitável. Quem veste o actual Mister África é um estilista de origem indiana, que reside em Angola há vários anos. Tem vestido várias celebridades da política angolana.


Há segredos para manter a sua performance física?
Não tenho. Alimento-me sem dietas. Vou lhe revelar um segredo. Para participar do concurso Mister África tive, necessariamente, que fazer várias sessões de ginásio e submeter-me a um plano de dieta alimentar para poder estar fisicamente bem apresentado durante a gala. Há necessidade de termos um cuidado rigoroso com o corpo. Nós trabalhamos com a imagem.


Qual é a dica que daria para quem quer ser Mister?
Alerto para que tenham cuidado com o que ouvem. No mundo da moda se escuta muita coisa que na realidade é diferente e em nada tem a ver com o que dizem. Ouvi muitas histórias sobre o concurso, sobre as pessoas envolvidas, deixei de receber apoios por causa dos rumores. Posso dizer que se ouvisse estas pessoas, hoje não estaria aqui a falar como Mister Angola ou Mister África. Devemos ser donos das nossas decisões. Temos de correr atrás dos nossos sonhos. Assim foi comigo. O concurso não é apenas de beleza exterior. Pesa muito mais o íntimo e as atitudes. Quero dizer aos jovens que estudem e façam cursos profissionais, pois que, nestes concursos, pesam muito estas valências.

PERFIL
 

Nome completo:
Eryvaldo dos Reis de Sousa.


Data de nascimento:
14 de Maio de 1994.


Naturalidade:
Lubango - Huíla.


Signo:
Touro.


Estado civil:

Solteiro.


Filhos:
Nenhum.


Marca de perfume:
Sou versátil em termos de marcas de perfume.


Marca de roupa:
Sany Fashion.


Defeito:

 Teimosia.


Prato preferido:

Funji de calulu.


Passatempo:

Jogar andebol e o futebol salão.


Local para férias:
Lisboa, São Tomé e Lubango.


Cidade predilecta:
Lubango.


Tem casa própria:
Ainda não.


Tem carro próprio:
Ainda não.


Poligamia:
Essa questão é complicada de responder.


Homossexualidade:
Cada um sabe onde reside a sua felicidade. Respeito.

Virtude:
Solidário com os meus amigos. Respeito muito a amizade.


Jornalista - Ferraz Neto

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Entrevista