Economia

Tecnologia garante sucesso do Tupuca

O recurso a tecnologias de informação e comunicação determina a prosperidade do Tupuca, um aplicativo de apoio a serviços de take-away que levou a companhia a atingir uma média de 28 800 entregas por mês em Luanda, mesmo no actual cenário de crise e restrição económica dos consumidores.

31/05/2019  Última atualização 09H54
DR © Fotografia por: Três dos fundadores do Tupuca, quando o aplicativo foi premiado com o Seedstars em 2017

Uma matéria publicada pela Angop sobre a companhia implantada em 2016 e distinguida com o Prémio Sirius de Empreendedor do Ano de 2017, fornece cifras robustas dentre 750 a 900 entregas médias de segunda a quinta-feira e de 1 200 de sexta-feira a domingo.
A empresa, que se reclama pioneira nesta linha de negócio em Angola, contava até 2018 com 44 postos de trabalho directos e 100 indirectos, números que evoluíram este ano para 102 empregos directos e 228 indirectos, 197 dos quais correspondem a entregadores de encomendas.
Hoje, o Tupuca tem implantados na sua plataforma 129 restaurantes e 66 serviços similares, obtendo rendimentos dentre cinco a 15 por cento do valor da entrega.
A agência escreve que, implantado numa das piores alturas da história da economia nacional, afectada pela baixa do preço do petróleo, o projecto empresarial contrariou as previsões, ganhou forma, espaço e milhares de clientes, tornando-se referência para quem quer afirmar-se como empreendedor de sucesso.
A chave do sucesso do projecto, considera, está na sua componente tecnológica, um aplicativo informático chamado “Tupuca Driver” com acesso através de smartphone, tablet ou computador que, uma vez accionado, dá opções de preços, menu e restaurantes cadastrados de onde encomendar as refeições. Com essa ferramenta, o cliente pode, também, indicar o local onde deseja receber a encomenda.
A ideia de desenvolver esse mercado com o suporte das novas tecnologias nasceu em 2015, com a criação do “Tupuca Driver”, desenvolvido pelos jovens angolanos Erickson Mvezi, Patrice Espírito Santo, Sydney Teixeira e Wilson Ganga.
Segundo a directora de Operações e Logística, Emília Pertence, a empresa conta com seis linhas de negócio que incluem Saúde e Bem-estar (farmácias, massagem, floristas, estética, cosméticos e outros) e Tecnologia e Serviços (electrónicos, serviços televisivos, bem como peças e acessórios).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia