Economia

Tecnagri mostra máquinas agrícolas

Manuel Fontoura | Ndalatando

Jornalista

A empresa Tecnagri foi, ontem, distinguida, no encerramento da "Expo Cuanza-Norte", realizada entre os dias 16 e 19, em Ndalatando, como a melhor representação de máquinas e equipamentos agrícolas no certame.

20/09/2021  Última atualização 05H25
© Fotografia por: DR
Foram ainda distinguidas pela organização, a empresa Estores África, que venceu a IVª edição do prémio "Expo Cuanza-Norte 2021", ao ter apresentado os  produtos mais inovadores da sua co-lecção; a Hipermáquinas,  destacou-se nas  amostras de rochas ornamentais; Salita & Mário, no  artesanato e o Hotel Cambondo,  do município de Golungo-Alto, na área da restauração.

Dados partilhados pela promotora e organizadora do evento atestam que, nos  cinco dias de exposição, coube à Gest-Terra, as  amos-

tras dos campos; ao Instituto Nacional de Segurança Social (INSS) e a melhor representação dos serviços públicos. A Free Farma so-bressaiu-se no quesito dos equipamentos hospitalares; na agropecuária notabilizou-se o grupo empresarial Wm-Gestepec.

A Coopeágro foi a melhor cooperativa agrícola. A melhor micro empresa foi a Lualine e a NC-Nâmbua Investimentos teve a distinção na representação gráfica. A Administração Municipal do Bolongongo teve a melhor representação local e a de Golungo-Alto a melhor  decoração de Stand. Já a melhor representação em consultoria foi atribuída a empresa 2M2C Gestão de Empreendimentos, enquanto a Milagres da Fé foi a distinguida na representação de roupas africanas.

Promotora do evento
O administrador da empresa promotora C-Calas, Carlos Santos Calas, referiu que a "Expo Cuanza-Norte” abarcou uma área de 15 mil metros quadrados, com igual capacidade de área útil, nos quais foram montados 120 stands de empresas dos ramos do Agronegócio, da indústria, do comércio, turismo e restauração, num pavilhão fenda de 1000 metros quadrados. Com a presença de quatro províncias nomeadamente, Cabinda, Uíge, Benguela e Malange, Carlos Calas disse que, a Expo contou com mais de quatro mil visitantes por dia, um volume de negócio na ordem dos 299 milhões de Kwanzas, criou 30 empregos directos e mais de 100 indirectos. Só no ramo da restauração foi possível arrecadar mais de 10 milhões de Kwanzas.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia