Sociedade

Taxas desfavoráveis para importadores

A Pauta Aduaneira em vigor desde Agosto introduz taxas sobre os compostos de fertilização importados, numa medida que salvaguarda os interesses das unidades fabris que estão a ser instaladas no país, afirmou o secretário de Estado da Agricultura, na inauguração de uma misturadora de fertilizantes na Catumbela.

24/05/2019  Última atualização 10H19
DR © Fotografia por: José Carlos Bettencourt

“Se a importação do produto for feita com todos os componentes em separado e a taxa for zero, funciona como matéria-prima. Mas se vier importada de forma híbrida, paga uma taxa por ser um produto a ser comercializado, com rendimentos a favor dos empresários”, afirmou José Carlos Bettencourt.
O país tem reservas quase inexploradas de fósforo e potássio, matérias-primas para a produção de fertilizantes, recorrendo, entretanto, à importação de adubos de forma crescente, ao longo dos últimos anos. “Se quisermos fazer uma agricultura moderna, não podemos fazê-la sem os fertilizantes, pois os nossos solos são, por característica, terras pobres, que necessitam de correcção e melhoramento”, disse José Carlos Bettencourt, apontando também “a insuficiente capacidade da produção interna para atender à procura” como a causa de “uma forte elevação das im-portações de fertilizantes, todos os anos.”
A misturadora de fertilizantes é detida por capitais franceses do Solevo Group, prevendo uma produção de 180 mil toneladas por ano, o que o secretário de Estado da Agricultura considerou importante para reduzir a importação de altas quantidades de adubos e empregar trabalhadores angolanos. O grupo Solevo actua na produção e distribuição de fertilizantes, sementes e fitossanitários para a agricultura e produtos químicos para indústria há mais de 70 anos, estando implantado em Angola, Costa do Marfim, Camarões, Burkina Faso, Senegal, Madagáscar e Mali.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade