Economia

Taxa de emprego sobe 2,0% no I Trimestre

Isaque Lourenço

Jornalista

A taxa de emprego em Angola apresentou, no I Trimestre deste ano, uma subida de 2,0 por cento, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) a que o Jornal de Angola teve acesso.

17/05/2022  Última atualização 08H50
© Fotografia por: DR

Os dados do levantamento trimestral revelam também que, no mesmo período, se registou um recuo de 6,5 por cento na taxa de desemprego na população com 15 ou mais anos de idade.

Esta mesma tendência decrescente também se verificou na taxa de informalidade, que apresentou um recuo de 0,2 por cento.

O levantamento do Instituto Nacional de Estatística tomou em consideração uma amostra de 10.944 agregados familiares pelo País, dos quais 6.036 na área urbana e 4.908 na área rural. Deste modo, indica o INE, a população desempregada, estimada em 5,3 milhões no final de 2021, passou agora a 4,9 milhões.

 

Medidas resultam

As medidas que têm sido tomadas pelo Governo visando à protecção do emprego, apesar do ambiente adverso gerado pela Covid-19, estão a surtir efeito, tendo-se um registo recente de mais de 460 mil empregos criados ao longo dos últimos quatro anos.

Só o Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE), coordenado pelo Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS), em 2021, garantiu mais de 83 mil empregos directos e outros 250 mil indirectos. Dados apontam ainda que nos três primeiros meses deste ano foram gerados mais de sete mil empregos, mantendo-se as perspectivas iniciais do Governo de alcançar uma cifra de 500 mil postos de trabalho gerados na economia nacional.

Relativamente ao PAPE, esta iniciativa deverá proporcionar, na sua implementação global, 10 mil microcréditos concedidos, 42 mil kits profissionais distribuídos, 30 mil jovens inseridos no mercado formal e 1.500 formados no nível 3 e 4 de formação profissional, no âmbito dos acordos de estágios profissionais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia