Desporto

Táctica de ataque domina a projecção das tricolores

Teresa Luís

Jornalista

A táctica de ataque e a circulação da bola dominaram, esta quinta-feira(06), o derradeiro treino do Petro de Luanda, com vista a disputa da Supertaça Babakar Fall em andebol sénior feminino, diante do TKC dos Camarões, partida marcada para domingo, na cidade de Niamey, Níger.

06/05/2022  Última atualização 09H50
Vivaldo Eduardo e comandadas vão ao Níger com o objectivo de conquistar as competições © Fotografia por: DR

Na segunda parte do treino, as petrolíferas, candidatas à conquista do título africano de clubes, ensaiaram a defesa seis contra sete, pois no ano passado, na final da Taça dos Vencedores das Taças, durante o jogo a formação camaronesa atacou com sete jogadoras, tendo criado muitas dificuldades ao emblema angolano.

A agressividade das compatriotas de Samuel E’to é outra preocupação da equipa tricolor. Por esta razão, a equipa técnica orientou as atletas a evitarem ao máximo o contacto físico.

O Petro viaja, hoje, às 13h00, e pernoita em Addis Abeba. Amanhã, segue para a cidade de Lomé e sábado à noite desembarca em Niamey.

O Jornal de Angola apurou  que  a preparação para a Supertaça Babakar Fall e Taça das Taças decorreu sem sobressaltos. "A equipa teve momentos importantes, depois interrompeu por causa da semana da Federação Internacional, IHF”.

O facto de disputarem a final do Campeonato Provincial de Luanda, provavelmente, ajudou a formação do Eixo Viário. "Embora ainda não estejamos dentro dos níveis habituais, o grupo acredita no crescimento no decorrer da competição”, revela uma fonte do clube.

Relativamente às outras equipas, o Congo praticamente juntou a selecção, mas pouco  se sabe sobre os Camarões. "Algumas congolesas que actuam em França vão estar em Niamey. Elas têm a oportunidade de ver o nosso primeiro jogo, diferente de nós.Logo, entram com ligeira vantagem. Mas, solidificando a defesa, nosso principal objectivo, vamos contornar os obstáculos”, acrescenta a fonte que preferiu o anonimato.

A arbitragem da região francófona é outra preocupação para as petrolíferas, pois costumam permitir muito contacto físico. " Se tivermos juízes da zona árabe ajuda muito. Tudo se complica quando são francófonos. Mas, de qualquer maneira, são equipas ao nosso alcance. O estilo de jogo das camaronesas não difere muito. Temos de circular a bola muito rápido”, sublinhou.

Dynamique dos Camarões, DGSP do Congo, FAP dos Camarões, Heritage do Congo Democrático e Bandama da Côte d'Ivoire são as equipas inscritas na Taça dos Vencedores das Taças.

O Petro de Luanda pretendia reforçar-se com as influentes Isabel Guialo "Belinha” (central) e Albertina Kassoma (pivô), mas, por decisão do 1º de Agosto, a intenção caiu por terra. A pivô Ríssia Oliveira falha as duas competições, devido à lesão na região lombar.

Tayane Castro é outra pivô que pode ficar de fora, caso o passaporte saia após o tempo previsto. Teresa Almeida "Bá”, Marta Alberto, Natália Kamalandua, Suzeth Matias, Madalena Marcos, Melkedezeque Chapumba, Estefânia Venâncio, Vera Kiala, Fernanda Cungulo, Claudeth José, Noela Cangaji, Tchiesa Pemba, Janeth Santos, Edith Bunga, Vilma Neganga e Marília Quizelete são as jogadoras que compõem o plantel do Petro.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Desporto