Economia

TAAG reforça ligações para quatro destinos

A companhia Linhas Aéreas de Angola (TAAG) reforça, a partir de domingo e de forma faseada, os voos para Cabinda, Maputo, Windhoek e São Paulo, anunciou a empresa em comunicado enviado às redacções.

12/08/2022  Última atualização 07H30
Frota de Dash 8-Q400 permanece activa nas rotas domésticas © Fotografia por: DR
A partir de domingo, as viagens semanais entre Luanda e Cabinda aumentam de 24 para 26 voos, com os trajectos adicionais a serem operados ao sábado e domingo por um avião Boeing 737-700, segundo o comunicado emitido na quarta-feira.

As ligações aéreas Luanda-Maputo tornam-se mais frequentes a partir de 2 de Outubro, com mais um voo semanal, passando a totalizar quatro. O voo adicional vai ocorrer ao domingo, com uma aeronave Boeing 737-700.

Os voos entre Luanda e Windhoek (Namíbia) aumentam a frequência de quatro para cinco, a partir de 2 de Outubro, com o adicional a ser operado ao domingo por um avião Dash 8-Q400.

Entre Luanda e São Paulo, no Brasil, os voos aumentam de três para quatro por semana a partir de 5 de Novembro. O voo adicional o Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro e Guarulhos será operado ao sábado, sendo que o voo de regresso a Luanda será efectuado ao domingo por um Boeing 777-300.

A TAAG destaca o reforço de voos para países da lusofonia (Moçambique e Brasil) e da região da África Austral (Namíbia), além de Cabinda, como resposta às preferências  dos seus passageiros.

A transportadora aérea de capitais públicos tem uma frota constituída por seis aviões Dash 8-Q 400, sete Beoeing 737-700, três 777-200 e cinco 777-300, mas, a partir do primeiro semestre de próximo ano, recebe os primeiros aparelhos de um contrato que se estende até 2024, para a aquisição de seis Airbus 220-300.

A compra acontece à luz de um contrato de "leasing” assinado com a Air Lease Corporation (ALC), de acordo com um comunicado há uma semana emitido pela companhia a anunciar o acordo.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia