Economia

TAAG reforça a frota com mais uma aeronave

Ana Paulo

Jornalista

A TAAG - Linhas Aéreas de Angola conta , desde segunda feira (24), com mais uma aeronave do tipo Dash-8.400 para reforçar o serviço doméstico de transportação de passageiros.

25/01/2022  Última atualização 08H30
Jato de água a simbolizar o baptismo de chegada de mais um avião para as rotas regionais © Fotografia por: Agostinho Narciso |Edições Novembro
Trata-se da quinta aeronave das seis previstas, proveniente do Canadá e está enquadrada no "Projecto Líder das Seis Naves". A aeronave tem capacidade para 74 passageiros, dos quais 10 em classe executiva e 64 na económica.
Deste modo, a TAAG dispõe para os voos domésticos e regionais 11 aeronaves, incluindo os Boeing 737-300.

Quanto aos custos operacionais global da empresa, o director de Operações da TAAG, José Coelho, realçou, em declarações à imprensa, que com a chegada das cinco aeronaves do projecto houve uma grande redução na ordem dos 30 por cento no custo do bilhete, o que faz com que a empresa tenha, actualmente, preços mais reduzidos, quando comparado ao cenário anterior a chegada das aeronaves.

Por um lado, tendo em conta os custos operacionais, José Coelho disse que estes voos permitem que sejam em todos os capítulos mais baixos, dando assim uma maior rentabilidade em termos comerciais. Também permite-se que as pessoas se movimentem com mais flexibilidade pelo território nacional  e ao nível da Região.

Em relação às rotas previstas, o director de Operações disse que a prioridade é atender as rotas dos voos domésticas e regionais na totalidade. José Coelho lembrou também que a companhia angolana de bandeira, actualmente, opera voos para Kinshasa, Windhoek e São Tomé e Príncipe.

Entre as rotas mais solicitadas, segundo o dirigente, a Zona Leste destaca-se, com realce para Luena (Moxico) e Cabinda; na Zona Sul, Lubango (Huíla) e Ondjiva (Cunene), rotas estas que têm registado um maior número de passageiro.

"Actualmente, a nossa direcção está a recuperar os vários serviços e com o aumento destas aeronaves, houve um grande impulso, sendo que houve uma ligeira redução de passageiros comparando com a época antes Covid-19", disse.


  Projecto Líder recebe quinto Dash 8-400

A chegada da sexta e última aeronave do projecto está prevista para Junho deste ano, segundo indicações das autoridades.
O projecto líder está a ser implementado como estratégia de reforço às operações do sector de voos domésticos, até então, operado apenas com seis Boeings, que atendiam os voos domésticos e os regionais. O aumento de mais cinco permitirá a companhia distribuir melhor os serviços de passageiros e cargas.

As aeronaves são fabricadas no Canadá e de acordo com o director do projecto, Miguel Cassoma, o custo de cada ronda os 32 milhões de dólares. Para chegarem ao país, há um adicional que chegue ao milhão de dólar.

Por um lado, os aviões, segundo Miguel Cassoma, têm uma autonomia de voos de seis horas e o seu nível de poluição e consumo de combustível sonora mais baixo. A semelhança das quatro primeiras, a quinta turbo hélice "Dash 8-400", com matrícula D2-TFE, foi baptizada com o nome "Cunhinga", um dos rios do Sul de Angola, que também dá nome a um município da província do Bié.

"Todas as cinco aeronaves são denominadas pelo nome de um rio. A sexta também terá o nome do rio Dango, no Huambo", frisou, Miguel Cassoma, que  reconheceu que com  mais uma aeronave  não haverá no sector problemas de atrasos e cancelamentos  de viagens.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia