Economia

Supervisores alertam para acto fraudulento de plataformas

Os supervisores Comissão do Mercado de Capitais (CMC) e Banco Nacional de Angola (BNA) emitiram, ontem, em Luanda, um alerta a investidores para a entidade que actua através do website https://liyeplimal.net e que através dos vários representantes pelas redes sociais busca atrair subscritores aos seus pacotes de investimento.

04/08/2021  Última atualização 09H59
© Fotografia por: DR
Como "modus operandi", esclarecem em comunicado, partilham vídeos nos canais do YouTube e enviam mensagens telefónicas sobre as formas de investimento, bem como incentivam estes mesmos investidores a tornarem-se agentes Liyeplimal.
"A entidade em causa apresenta-se como uma plataforma camaronesa, especializada em negociação de criptomoedas, no entanto, segundo o seu representante, esta não serve para negoci-ação das mesmas em bolsa, uma vez que esta negociação é feita por técnicos especializados da mesma empresa, cabendo aos investidores apenas a aquisição de pacotes de investimento, os quais pagam juros semanais que garantem retornos de 60/70 por cento ao ano", lê-se.

Ainda, segundo os supervisores, os pacotes de investimento, através da referida plataforma consistem na aquisição de montantes pré-definidos da criptomoeda Limo. Para o efeito, é assinado um contrato entre o investidor e a empresa Liyeplimal, posteriormente são adquiridos os pacotes e, por fim, é carregada a carteira digital do investidor com Limos.

A 4 de Junho deste ano, referem, a "Comission de Surveillance du Marché Fi-nancier de l’Afrique Centrale (COSUMAF)" publicou um comunicado dirigido aos residentes camaroneses, no qual alertava que, algumas empresas, entre elas a Global Investment Trading (Liyeplimal), estava a oferecer promessas de investimentos com elevados retornos a curto prazo. Segundo declarou, a oferta era uma campanha de captação de recursos públicos fraudulenta, uma vez que não obedecia à legislação vigente, não estava registada para exercício da referida actividade e que a operacionalidade da referida empresa no mercado camaronês estava sujeita à prévia aprovação da COSUMAF.

A CMC alerta ainda para o facto de a criptomoeda in-titulada Limo não possuir capitalização bolsista, não sendo negociada em qualquer bolsa de valores conhecida, bem como para o facto de a entidade que actua através do website acima identificado não estar autorizada nem registada junto desta, nem do BNA, para o exercício de qualquer actividade de intermediação.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia