Cultura

Sucessor do Rei Cabombo apresentado hoje à comunidade tradicional de Malanje

O 45º Rei da Matamba, Luís Ngola, também conhecido por “Diba Njungo”, de 68 anos de idade, substituto ao trono do malogrado Rei Buba Nvula Dala Mana Rei “Cabombo”, que morreu em Setembro do ano passado, vítima de doença, é apresentado oficialmente hoje, a partir das 9h00, na cidade de Malanje.

14/06/2024  Última atualização 10H30
Rei Luís Ngola (ao centro) num acto que será prestigiado por governadores provinciais © Fotografia por: antónio muxito | Edições Novembro

O acto será testemunhado pelas autoridades governamentais, tradicionais e a população em geral. Nesta manhã, os caminhos vão dar ao campo de jogos Valódia para assistir ao acto que vai mobilizar diferentes figuras ligadas à cultura, à sociedade malanjina e convidados de diferentes regiões do país. De acordo com o programa, o governador provincial de Malanje, Marcos Nhunga, na qualidade de anfitrião, vai expressar as palavras de boas-vindas.

Uma incursão histórica do Reino do Ndongo, a apresentação de Sua Majestade Rei do Ndongo e da Matamba, seguido de um momento cultural, para além de mensagens de felicitações dirigidas ao Rei, e a  intervenção do ministro da Cultura, Filipe Zau, vão marcar o momento de apresentação do Rei Diba Njungo.

O acto vai ser, igualmente, marcado com as oferendas ao Rei, que se seguirá a sua intervenção. Na sequência, segundo o programa, vai ter lugar um acto cultural, com a actuação de diversos grupos da região, em que os estilos Mbuenze, Kizomba, Diembe e outros vão marcar a diferença.

O porta-voz e coordenador da subcomissão de Marketing e Informação, Adelino Gomes Ngunza destacou a importância do acto por valorizar e preservar a identidade cultural nacional. O acto, garantiu, será prestigiado por governadores das províncias vizinhas, dos Reis do Bailundo, Cokwe dentre outros convidados.

"Não incluímos as províncias vizinhas como o Cuanza-Norte, Bengo e Luanda, porque essas fazem parte do Reinado do Ndongo, são também de igual modo, partícipes da actividade e não convidados”, disse.

O Rei Luís Ngola "Diba Njungo”, nasceu a 23 de Dezembro de 1955, na aldeia de Quizela, no município de Cahombo. É filho de António Ngola e de Rosa Manuel, pertencente à família real de Ngola Kiluanje e foi eleito através da linhagem materna  que pertence a tribo de Mudile a Ndombo a Mana.

Estes e outros requisitos pela parte materna, levaram-no a ser entronizado a 16 de Setembro do ano passado, no sector de Cabombo na aldeia de Ngumba ao cargo  de 45º Rei de Ngola  Kiluanje, soberano do Reino do Ndongo e da Matamba.

Considerando que a liderança do reinado do Ndongo é geracional, Luís Ngola tem o privilégio de assumir o poder no direito de Mudile a Ndombo a Mana, uma das cinco mães da linhagem dos Ngola, nomeadamente, Njinga Mana, Cambo Camana, Catala Camana, Mudile a Ndombo a Mana e Cassenda Camana.

Relativamente às qualidades profissionais, o Rei tem o curso médio de Formação de Professores e já exerceu as funções de comissário municipal de Cahombo, foi deputado da extinta Assembleia Popular de Malanje, no período de 1986 a 1991, chefe político do Destacamento da Organização da Defesa Popular (ODP), no sector de Quizela de 1976 a 1979, igualmente chefe político do Batalhão de Reserva das ex- FAPLA.

Entretanto, Diba Njungo, corajosamente assume o poder dando continuidade à valorização dos ancestrais e do Rei Ngola Kiluanje na luta contra os portugueses  que durou mais de três décadas, sendo que os primeiros combates iniciaram em 1912, estendendo-se até 1924.

Definição de prioridades

Aquando da apresentação em Novembro de 2023, no sector de Cabombo, comuna de Dala Samba, no município de Marimba, a 200 quilómetros a Norte da cidade de Malanje, o Rei Diba Ngola garantiu ser um parceiro do Governo, por forma a contribuir no desenvolvimento das populações da região, em particular, e do país em geral.

Na ocasião, Diba Njungo anunciou as principais linhas de força em que figuram acções como tornar a localidade de Muculo a Ngola, onde jazem os corpos dos Reis Ngola Kiluanje e Rainha Njinga Mbande, num verdadeiro mosaico cultural da História do país.

Por isso, apelou ao Executivo que se acelere a construção do Memorial dos Soberanos do Ndongo, no sentido de valorizar a localidade e serem construídas infra-estruturas que sirvam para o fomento do turismo. O Rei Luís Ngola, havia defendido também a necessidade da unificação do reinado, trabalhar com os demais soberanos e promover acções que incentivem ao respeito aos órgãos de soberania.

Francisco Curinhinga   e Venâncio Victor | Malanje

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura