Economia

Sodiam prevê arrecadar mais de USD 20 milhões em leilão

A empresa nacional de comercialização de diamantes de Angola, SODIAM, prevê arrecadar mais de 20 milhões de dólares no seu quarto leilão de diamantes brutos, a realizar-se de 15 a 30 deste mês de Novembro.

15/11/2021  Última atualização 08H12
Os diamantes têm dado um valioso contributo nas receitas públicas © Fotografia por: DR
A licitação incide sobre  seis pedras especiais da Sociedade Mineira do Lulo, especificamente duas cor de rosa, e vários cesto de pedras da Sociedade Mineira do Catoca, com as propostas a serem  avaliadas até ao dia 29.


Segundo uma nota da SO-DIAM, as sessões acontecem exclusivamente online, pelo que as empresas interessadas podem se registar através do link www.sodiamsales.com.

No último leilão (o terceiro), em Junho, a empresa embolsou cerca de 56 milhões e 645 mil dólares, resultante das licitações de diamantes especiais das minas de Uari, Lulo, Catoca e Luele.

O primeiro leilão de diamantes ocorreu em Fevereiro de 2019, à luz da nova política de comercialização de diamantes, enquanto o segundo realizou-se em Dezembro do mesmo ano.

Devido à Covid-19, não foi possível a realização de leilões em 2020, sendo que para o presente acto de arrematação foram tomadas todas as medidas de precaução e biossegurança exigidas pelas autoridades competentes para o controlo e combate à referida pandemia.

No formato actual de leilão, para a cerimónia de compra de diamantes, as empresas participantes apresentam as suas propostas de forma remota, em modelo fechado, na plataforma electrónica criada para o efeito, gerando maior transparência no processo e permitir obter mais valor comercial para as pedras disponíveis.

Apesar das restrições impostas pela Covid-19, o terceiro leilão de diamantes confirmou-se como o maior até ao momento, em termos de participação e valor arrecadado.
Fundada em 1999, a SODIAM E.P é a empresa estatal responsável pela comercialização da produção dos diamantes de Angola.

As produções vendidas até à presente data resultam de doze produções, entre kimberlíticas e aluvionares, e cobrem todo o espectro de qualidades em termos de tamanhos, modelos, purezas e cores.

No ano passado, essa companhia vendeu mais de 7,7 milhões de quilates em bruto, por um valor total de mil e 13 milhões de dólares, correspondendo a um preço médio de USD/Ct 130,90, posicionando Angola como o terceiro maior produtor mundial de diamantes em bruto em termos de valor.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia