Mundo

Socialistas espanhóis vencem eleições gerais

O Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), do Primeiro-Ministro Pedro Sánchez venceu as eleições legislativas antecipadas realizadas ontem, ao conquistar cerca de 29,25 por cento dos votos, segundo uma sondagem divulgada pela televisão pública do país ibérico.

29/04/2019  Última atualização 11H03
Dr © Fotografia por: Primeiro-Ministro Pedro Sánchez fica dependente de coligação para voltar a formar Governo

A sondagem refere que o Vox (extrema-direita) entra pela primeira vez no Parlamento com 10,6 por cento dos votos escrutinados.
O Partido Popular (PP, direita), vem a seguir ao PSOE, com 16,68 por cento, enquanto que o Cidadãos (direita liberal), com 15,37 por cento dos votos, alcança o terceiro lugar, seguido do Unidos Podemos (extrema-esquerda), com 11,92 por cento.
Os eleitores contactados na projecção deram aos socialistas a possibilidade de ter entre 116 e 123 lugares no Congresso de Deputados (Parlamento), longe da maioria absoluta de 175 mais um parlamentar num total de 350.
Os socialistas deverão assim, mais uma vez, ficar dependentes de partidos regionais mais pequenos, como os nacionalistas bascos e os independentistas catalães, para formar Governo.
Estes últimos apoiaram no Parlamento o Primeiro-Ministro Pedro Sánchez a chegar ao poder em Junho de 2018, mas também foram responsáveis pela sua queda passados 10 meses.
Se os resultados desta sondagem se confirmarem, significa que o PP, que até há poucos anos alternava com o PSOE na condução dos executivos espanhóis, tem a sua votação mais baixa de sempre.
Nas últimas eleições gerais, realizadas em Junho de 2016, o PP obteve 33,0 por cento dos votos (137 deputados), o PSOE 22,7 por cento (85), o Unidos Podemos 21,1 por cento (71), o Cidadãos 13,1 por cento (32), havendo ainda uma série de pequenos partidos regionais com menor representação (25).
A taxa de participação nas eleições gerais de ontem em Espanha era de 60,7 por cento às 18h00 (17h00 em Angola), quase 10 pontos percentuais acima da mesma taxa nas eleições anteriores, de 26 de Junho de 2016, segundo dados oficiais.
O secretário de Estado da Comunicação, Miguel Ángel Oliver, sublinhou em conferência de imprensa que “a jornada caracterizou-se por uma grande normalidade”.
Cerca de 37 milhões de espanhóis exerceram o seu direito de voto até às 20h00 locais para escolher os 350 deputados e 208 senadores das Cortes Gerais, além da votação para o Parlamento regional na Comunidade Valenciana.
Os estudos de opinião feitos nos últimos dias indicavam que haverá cinco partidos que terão mais de 10 por cento de votos, sendo o PSOE (socialista) o favorito com cerca de 30 por cento, longe da maioria absoluta, seguido do PP (Partido Popular, direita) com quase 20 por cento e um grupo de três partidos entre 10 e 15 por cento: Cidadãos (direita liberal), Unidos Podemos (extrema-esquerda) e Vox (extrema-direita).

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo