Mundo

Sobe para 60 o número de mortos em naufrágio

O barco, com mais de 160 passageiros, incluindo muitas crianças e mulheres, que se afundou, quarta-feira, depois de ter embatido contra um objecto e ter-se partido ao meio, quando navegava ao longo do maior rio da Nigéria, no estado de Kebbi, Noroeste do país, continuava, ontem, a ser alvo de buscas para encontrar sobreviventes ou cadáveres.

29/05/2021  Última atualização 09H25
© Fotografia por: DR
Os corpos encontrados estão a ser transportados, pelas equipas, de um barco localizado perto da margem do rio, para uma ambulância que se encontra no local à espera.Na quinta-feira, as equipas de emergência e busca encontraram mais 55 corpos, o que elevou o número de mortos para 60, segundo Sani Dododo, presidente da Agência de Gestão de Emergências do Estado de Kebbi."Esperamos recuperar mais corpos”, afirmou, acrescentando que receia que os 83 passageiros ainda desaparecidos possam não ser encontrados vivos.

Vinte e dois passageiros foram resgatados pouco depois do acidente, mas nenhuma outra pessoa foi encontrada viva desde então.Entre os mortos estava um bebé com menos de 1 ano.Os esforços para encontrar os desaparecidos estão a ser lentos, porque o nível das águas do rio subiu e as correntes estão fortes, o que torna as condições perigosas para os mergulhadores e os elementos que estão a fazer buscas em barcos, disse Dododo.

Até ontem, ainda não era claro o motivo que causou o rompimento do barco.O barco de madeira, que estava em mau estado, transportava mais do dobro do número de passageiros permitido a bordo, disseram as autoridades, na quarta-feira."Quando o barco se partiu em dois, perguntei-me se as pessoas se iriam salvar”, disse Usman Umar, um dos poucos passageiros que sobreviveu, à agência de notícias francesa, AFP, na quinta-feira.

"Nós, os sobreviventes, não somos mais de 20”, afirmou.Na quarta-feira à noite, o Presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, descreveu o acidente como "terrível” e apresentou condolências às famílias, sem fazer uma avaliação oficial da catástrofe na sua declaração.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Mundo