Cultura

Sinistralidade rodoviária revista em livro

Manuel Albano

Jornalista

As consequências dramáticas da sinistralidade rodoviária no país são apresentadas em romance, pelo jornalista Vladimir Prata, no livro de estreia, “Um Assassino na Estrada”, a ser apresentado amanhã, às 17h00, no Centro de Formação de Jornalistas, em Luanda.

13/04/2021  Última atualização 10H17
Livro de Vladimir Prata narra acontecimentos do quotidiano © Fotografia por: Afonso Costa | Edições Novembro | Namibe
O acto de lançamento e assinatura de autógrafos está inserido nas comemorações do Dia Nacional da Juventude, a assinalar-se amanhã. O escritor e sociólogo John Bella, vice-presidente da Brigada Jovem de Literatura Angolana (BJLA) é o apresentador o livro, enquadrado na colecção "Quem Ama Não Dorme”, projecto literário da associação.

O livro conta a história de Alberto de Carvalho Sousa e Silva, que perdeu a família, esposa e filha única, num acidente causado por condução irresponsável de um cidadão. "O inconformismo deu lugar à revolta, porque Alberto procurava uma explicação para a sua desgraça e passou a ser consumido por um desejo de vingança (...)”, descreve o autor, acrescentando ser uma realidade muito comum no quotidiano em especial quando acontecem tragédias do género.

Vladimir Prata adiantou, ontem, ao Jornal de Angola, que o livro começou a ser idealizado em 2014 e só foi concluído agora, por falta de patrocínio. O livro, explica, que tem como o palco da acção os bairros, ruas e avenidas de Luanda, foi idealizado com base nos dados estatísticos do número de acidentes na estrada de 2014.  

O jornalista Teixeira Cândido, que escreveu o prefácio, considerou o livro uma proposta de reflexão sobre uma realidade muito presente na vida de muitos. "É o quotidiano contado com estética, na expectativa de suavizar a dureza”, descreveu.
Impresso na Gráfica Popular E.P., com acabamentos na Tipografia Corimba, o livro tem ilustração de capa do artista Raffa Invencible.

Para o presidente da Brigada Jovem de Literatura de Angola (BJLA), Joāo Mwanza, o livro está inserido no programa de revitalização das actividades da associação, por ser mais um título de um membro.

Natural de Luanda, Vladimir Eugénio Fernandes Prata é jornalista, tendo iniciado a carreira profissional no Canal A, da Rádio Nacional de Angola, como repórter, apresentador e realizador. Em Maio de 2001 é admitido na Edições Novembro, trabalhando como repórter do Jornal de Angola, na editoria de Cultura. Em 2009 foi admitido no Jornal  "O País”, do Grupo Media Nova, como editor de Cultura. Em 2011, regressou ao Jornal de Angola. Actualmente exerce as funções de director provincial da Edições Novembro no Namibe.

O autor tem crónicas publicadas em jornais e revistas. Além de jornalista, é músico, co-fundador da Banda Contrastes, mentor e director do projecto "Murais da Leba”, lançado em 2015, para realização de pinturas de arte nas paredes na Serra da Leba, e membro da BJLA.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Cultura