Sociedade

Sindicato dos Jornalistas defende postura ética e deontológica na cobertura eleitoral

Domingos Mucuta | Lubango

Jornalista

O secretário-geral do Sindicato dos Jornalistas Angolanos (SJA) defendeu, terça-feira, no Lubango, província da Huíla, isenção e imparcialidade dos profissionais dos órgãos de Comunicação Social públicos e privados na cobertura das eleições gerais de 24 de Agosto.

15/06/2022  Última atualização 13H09
© Fotografia por: CIPRA | Arquivo

Teixeira Cândido manifestou esta posição à margem do workshop provincial sobre "Jornalismo online e cobertura eleitoral” dirigido aos profissionais dos órgãos de comunicação social públicos e privados na Huíla.

"Não podemos ser responsabilizados por victória ou derrota deste ou daquele candidato. As simpatias são irrelevantes”, disse, acrescentado que a média não pode ser motivo de debate e cada jornalista deve fazer o seu trabalho de forma exemplar, isenta e imparcial.

Teixeira Cândido informou, também, que o SJA prevê capacitar 90 profissionais em todo país antes da realização das quintas eleições em Angola. 

O workshop que decorre até esta quarta-feira conta com prelectores nacionais e estrangeiros, cujo temas são ministrados via remota e presencial.

 

 

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade