Política

Símbolo do MPLA é indevidamente usado

O secretário provincial de Luanda do MPLA, Sérgio Luther Rescova, denunciou, ontem, no Distrito Urbano do Zango, a existência de pessoas que fazem o uso indevido da bandeira do partido para se apropriarem de terrenos em alguns municípios.

19/01/2020  Última atualização 19H15
Eduardo Pedro | Edições Novembro © Fotografia por: Secretário provincial do MPLA fez ontem a denúncia no Zango

Durante um acto de massa, que marcou a abertura das jornadas políticas e patrióticas do MPLA nos distritos urbanos e comunas de Luanda, o secretário provincial chamou a atenção para a necessidade de os militantes do partido serem os primeiros a respeitarem as regras de conduta social exemplar e as leis do país.

Sérgio Luther Rescova assegurou que vão ser, igualmente, reforçadas a atribuição de cartões de militante, uma vez que existem muitos membros que continuam sem identificação, quando “ter o cartão do partido é um direito que as estruturas têm de garantir”.
O responsável político exortou os militantes e simpatizantes do partido MPLA a terem uma conduta de respeito pelos adversários políticos. Sérgio Luther Rescova disse que os adversários políticos também têm ambições. Por isso, considerou importante que cada membro, militante e simpatizante tenha a capacidade de transmitir à população os objectivos do partido.
“As nossas vitórias terão que ser sempre resultado do nosso trabalho preparatório. Vamos preparar-nos, organizar e lutar para vencer os desafios do presente e do futuro, sem nunca cantar vitórias antecipadas, mas fazer aquilo que sempre foi a matriz do trabalho do MPLA”, exortou.
O primeiro secretário provincial de Luanda do MPLA garantiu, igualmente, que, apesar das dificuldades, o Executivo se mantém empenhado no aprimoramento do ambiente de negócios no país e de outras formas para atrair o investimento, com vista a proporcionar bem-estar à população.
As jornadas, abertas ontem, que decorrem sob o lema “Meu CAP, Meu Partido”, e têm como objectivo a revitalização do MPLA, tornando mais activos os trabalhos levados a cabo, a partir das estruturas de base, os vulgos comités de acção (CAP).
Numa mensagem lida na ocasião, a Organização da Mulher Angolana do município de Viana, apelou aos dirigentes locais a prestarem maior atenção aos problemas que os bairros continuam a enfrentar, desde falta de água, energia, educação e saúde, no sentido de se assegurar uma vida mais digna às comunidades.
Quanto às eleições autárquicas, “uma tarefa árdua que se avizinha”, as mulheres do MPLA em Viana manifestaram-se prontas para o desafio e enfrentar as reformas do novo paradigma da vida quotidiana do povo angolano.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política