Política

SIC e UE debatem investigação financeira

Elizandra Major

Jornalista

A Investigação Financeira e Casos de Branqueamento de Capitais vão ser discutidos e analisados, hoje até quinta-feira, em Luanda, pelos representantes da União Europeia (EU), directores e chefes de departamento do Serviço de Investigação Criminal (SIC).

25/06/2024  Última atualização 08H23
© Fotografia por: DR

O seminário sobre Investigações Financeiras e Branqueamento de Capitais, segundo um comunicado de imprensa enviado ao Jornal de Angola, é uma iniciativa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), que visa potenciar os profissionais do SIC das áreas de Pesquisas Financeiras e do Combate ao Branqueamento de Capitais.

A acção formativa, destaca o documento, enquadra-se no Projecto de Apoio ao Fortalecimento do Sistema Nacional de Confisco de Activos (PRO-REACT), financiado pela União Europeia (UE)

A recuperação de activos continua a representar uma prioridade para as instituições angolanas empenhadas no combate à criminalidade organizada e comprometidas em aperfeiçoar e aplicar as melhores práticas internacionais em matérias de confisco.

Angola está empenhada em implementar as recomendações do Grupo de Países da África Austral e Oriental, criado para monitorar o progresso dos Estados relativamente ao cumprimento das recomendações do GAFI nas jurisdições, concernentes à prevenção e combate ao branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo, que apelam à recuperação de activos ligados aos crimes subjacentes, incluindo corrupção e peculato.

Constituem o Grupo de Países da África Austral e Oriental Angola, Botswana, Etiópia, África do Sul, Namíbia, Tanzânia, Rwanda, Seychelles, eSwatini (antiga Swazilândia), Quénia, Zâmbia, Uganda, Moçambique, Malawi, Lesotho, Ilhas Maurícias e Zimbabwe.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Política