Regiões

SIC detém 4 cidadãos por corrupção e burla

Weza Pascoal | Menongue

Jornalista

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) na província do Cuando Cubango deteve quatro cidadãos nacionais, com idades compreendidas entre 26 e 37 anos, sob suspeita de envolvimento em crimes de corrupção activa, burla e falsificação de documentos.

23/03/2022  Última atualização 08H45
© Fotografia por: DR

Trata-se do chefe dos Re-cursos Humanos da Administração Municipal do Nancova, que foi detido pelo crime de corrupção activa, pela cobrança ilegal de quatrocentos mil kwanzas a dois cidadãos inseridos na Função Pública, no último concurso público de ingresso do regime geral, promovido pelo Governo da província, em 2021.

O porta-voz do Serviço de Investigação Criminal, intendente Paulo Dias de Novais, explicou que, pelo mesmo crime, foi detido um funcionário do Instituto Nacional de Desminagem (INAD), que beneficiou, também, do dinheiro cobrado e facilitou as negociações para a inserção dos trabalhadores na Função Pública.

Foi ainda detido um cidadão implicado no crime de burla, que, à data dos factos, se fez passar por efectivo do SIC, colocado na área dos Recursos Humanos, e procedia a recolha de documentos pessoais e a cobrança de 15 mil kwanzas por pessoa, com a promessa de ingressarem no Ministério do Interior. "Graças ao trabalho aturado levado a cabo pelo SIC, em coordenação com os Serviços de Inteligência Criminal, foi possível deter este cidadão nacional, em flagrante delito, na posse de dois processos falsos", referiu.

A Polícia deteve, igualmente, um cidadão nacional residente no Bié, que se fazia passar por efectivo das Forças Armadas Angolanas (FAA), que, depois de ter burlado cerca de 575 mil kwanzas a um cidadão nacional daquela província, com a promessa de vender-lhe um carro, fugiu para a cidade de Menongue.

"Como já tínhamos as coordenadas e características do mesmo, através das informações recebidas através dos colegas do Bié, foi possível a detenção deste indivíduo”.

Apesar de não apresentar números, disse que, nos últimos tempos, a província tem registado vários crimes de burla, com pessoas a continuar a fazer transferências bancárias desaconselháveis, através de ligações telefónicas, com a promessa de ganharem viaturas ou outros prémios.

Explicou que, nestes casos, algumas investigações têm sido lentas, porque muitas vezes os burladores não se encontram no Cuando Cubango e as contas bancárias em que são realizadas as transferências também não são domiciliadas na província.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Regiões