Economia

“Showroom” cadastra empresas de publicidade

Roque Silva

Jornalista

Um sistema para registo on-line das empresas que actuam no ramo de publicidade e marketing, visando actualizar o número de operadoras, foi lançado, ontem, na I Edição da Feira Nacional de Publicidade e Marketing, que decorre em simultâneo com a edição deste da Feira Internacional de Luanda (FILDA) 2021.

02/12/2021  Última atualização 09H50
Feira da Publicidade e Marketing procura congregar os operadores do sector visando a definição das melhores estratégias © Fotografia por: Eduardo Pedro| Edições Novembro
Denominada por "Showroom”, trata-se de uma iniciativa do Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Co-municação Social, através da Direcção Nacional de Publicidade.

O registo é feito de forma gratuita, no Portal dos Serviços Públicos Electrónicos (SEPE) do Governo de Angola e permite cadastrar uma empresa e simular os custos de pagamentos dos emolumentos.

A técnica da Direcção Nacional de Publicidade, Isabel Lili, disse ao Jornal de Angola que ainda não tem sido possível o utente fazer o pagamento por não haver ainda autorização do Ministério das Finanças e publicação em Diário da República.

Isabel Lili referiu que, apesar disso, o Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, através da Direcção Nacional de Publicidade, está a promover o registo e a passar certificados provisórios para garantir que as empresas possam operar sem limitações.

Para colmatar esse desiderato, estão a ser feitos pré-registos no Stand, através do preenchimento de uma ficha.
"O processo é simples e pode ser feito pelo utente com o recurso a um dispositivo electrónico, sem precisar ter a Internet”, disse.

Longe das expectativas

Apenas 16 das mais de 370 empresas ligadas ao sector participam, desde terça-feira, na I Edição da Feira Nacional de Publicidade e Marketing, que decorre em simultâneo com a Feira Internacional de Luanda (FILDA), na Zona Económica Especial (ZEE).

O número é expressivo, tendo em conta o fosso registado no certame, apesar de a Direcção Nacional de Publicidade ter executado um plano de mobilização nas províncias, onde operam a maior parte das empresas, entre as quais Luanda, Benguela e Cuanza-Sul.

O evento procura auxiliar na promoção de vendas de produtos e serviços, estimular a expansão das actividades comerciais, conhecer as novas tendências do segmento, iniciar e reforçar acordos e alianças estratégicas, diversificar e expandir os canais de comercialização, avaliar a competitividade das empresas, realizar lançamentos de novos produtos, além de inovar as estratégias de comunicação e publicidade.

 A técnica da Direcção Nacional de Publicidade, Isabel Lili, justificou a ausência de maior parte das empresas no "Showroom” com o facto de as mesmas estarem engajadas a participar numa feira ligada unicamente ao sector.
Disse que a Feira de Publicidade e Marketing foi amplamente divulgada para ser realizada na Baía de Luanda, sendo que a troca de espaço terá desmotivado muito dos gestores.

A Feira reúne operadores do sector das mais variadas áreas de publicidade de marketing, desde agências e produtoras (gráficas), agências de comunicação institucional e relações públicas, pesquisa e estudo de mercado e angariadores de publicidade.

O Jornal de Angola soube que 750 mil kwanzas é o valor mínimo das multas aplicadas às empresas cujas publicidades de promoção das marcas de bebidas alcoólicas não advertem o não uso por excesso ou por menores de idade.

Edições Novembro
maximiza resultados

A equipa do Stand da Edições Novembro, empresa detentora de vários títulos jornalísticos, continua empenhada na divulgação dos serviços e produtos, tendo registado bons resultados durante os dois primeiros dias na Filda.

Até ontem, mais de 100 visitantes, entre nacionais e estrangeiros, alguns representantes de empresas, procuraram saber mais sobre o processo de produção dos jornais, os pacotes promocionais em vigor para a divulgação de anúncios, tendo alguns aderido à subscrição online.

Sérgio António, por exemplo, aproveitou a presença na feira para aderir a subscrição online do Jornal de Angola. Mostrou-se feliz com o facto, justificando que a medida vai permitir ler o jornal onde estiver. Felicitou a iniciativa e sugeriu que fosse alargado o processo noutras zonas onde há maior concentração de pessoas, sobretudo jovens.
Sagrado de Melo, técnico da área de Publicidade e Marketing, deu nota positiva do movimento registado nos dois dias.

Considera ter tido boa im-pressão nos contactos feitos tendo em conta a expressão vista no rosto dos clientes e visitantes.

Segundo o director de Publicidade e Marketing, Modesto Ilunga, os números são animadores na medida em que tem sido possível fazer assinaturas para os jornais online e captar anunciantes.

Apelou, por outro lado, os interessados a dirigiram-se ao Stand das Edições Novembro, onde deverão encontrar uma equipa de técnicos capacitados para o atendimento personalizado, no processo de assinatura, feito em menos de três (3) minutos.

O Stand ocupa um espaço de 18 metros quadrados, onde estão expostos os principais títulos, entre os quais o Jornal de Angola, dos Desportos, Economia & Finanças e os vários regionais.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Economia