Sociedade

Serviços Veterinários denunciam abate clandestino de animais

Marcelino Wambo | Huambo

Jornalista

O chefe Provincial dos Serviços Veterinários denunciou, quarta-feira(18), no Huambo, a existência de locais de abates clandestinos de gado bovino, caprino, suíno, ovino e outras espécies de animais para produção da carne, sem quaisquer condições de higiene.

19/05/2022  Última atualização 09H25
© Fotografia por: DR

Jorge Almeida, que falava à "Radio Mais”, explicou que os Serviços Veterinários estão preocupados com a situação de locais clandestinos de abate de animais, sobretudo de gado bovino e caprino, por serem grandes portadores de doenças contagiosas e a sua carne vendida em mercados sem as mínimas condições.

O responsável frisou que o Huambo possui apenas dois locais oficiais de abate de animais para o consumo. Nesses sítios foram melhorados alguns aspectos de higiene e sanidade, com vista o processamento do produto.

O médico veterinário lamentou o facto de ainda existir muitos cidadãos que insistem em comprar a carne em locais não apropriados, mesmo com as chamadas de atenção sobre os riscos dessa prárica para a saúde humana.

Jorge Almeida apontou a Dinaprop, localizada na zona industrial da Cuca, e Ombelela, no bairro São Pedro, como os únicos matadouros oficiais existentes na cidade do Huambo, assim como foi criado no maior mercado da Quissala, vulgo "Alemanha", um local de matança com presença dos técnicos veterinários, no sentido de facilitar e a contrapor o fenómeno e, por via disso, evitar doenças de saúde pública.

A falta de pessoal e meios técnicos, explicou, faz com que os Serviços de Veterinaria fiquem apenas representados nos municípios da Caála e Huambo, deixando os outros nove municípios, praticamente, sem cobertura.

O responsável deu a conhecer que a nível nacional os Serviços de Veterinaria funcionam com uma média entre 250 a 300 trabalhadores. Neste momento, o Huambo conta com um total de 21 entre efectivos e contratados.

Apesar das dificuldades, os trabalhos não param. Por exemplo, decorre uma campanha de vacinação de animais nos municípios do Huambo e Tchindjenje, estando disponíveis dez mil doses de cada, das 84 mil vacinas que têm usado para a cobertura da província.

Estima-se que a nível da região serão vacinadas perto de 25 mil bovinos e 20 canídios contra a peripneumonia aguda contagiosa, dermatite nodular, carbúnculo hemático, sintomático e antirrábico, especificamente, para cães e gatos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade