Sociedade

Serviços Prisionais aumentam produção

A Unidade Penitenciária do Cuanza-Norte tem preparados 19 hectares para o cultivo agrícola, na presente campanha 2022/2023, destinados à produção de legumes, cereais e hortícolas, com a mão de obra assegurada por reclusos.

06/11/2022  Última atualização 14H51
© Fotografia por: Edições Novembro

A produção visa a promoção da auto-suficiência alimentar para o sustento da população penal.

De acordo com o director da unidade, Luís da Costa Dias, nesta campanha, a instituição aumentou a área de cultivo de 11,5  para 16 hectares para o incremento da produção.

Na campanha anterior,  desenvolvida no perímetro agrícola do Camuaxi, a 12 quilómetros da cidade de Ndalatando (capital da província),  a instituição alcançou uma safra de 32 toneladas de produtos diversos, sobretudo, cereais, legumes e hortícolas.

O projecto de produção agrícola inclui igualmente a criação de aves e aquicultura (criação de peixes em tanques reservatórios), assegurado por 122 presidiários, segundo e director, Luís da Costa Dias, quinta-feira, na abertura da campanha agrícola.

Por seu turno, o director dos Serviços de Migração e Estrangeiros, Alberto João Dassala, que presidiu o acto em representação do Delegado do Interior, destacou o trabalho dos s Serviços Penitenciários na promoção de acções alternativas, com destaque para o fomento da produção agrícola, visando a melhoria da dieta alimentar da população penal.

Informou que consta das estratégias da Delegação do Interior no Cuanza Norte a aquisição de novas parcelas de terra para a produção animal nos municípios de Cambambe, Samba-Caju, Ambaca e Banga.

A cerimónia de abertura da campanha agrícola nos Serviços Peninteciários foi marcada com o lançamento das primeiras sementes à terra.

Os Serviços Penitenciários no Cuanza Norte conta actualmente com uma unidade prisional construída na década de 60, com capacidade para 250 presos, registando agora uma sobrelotação de mais de 500 reclusos, entre detidos e condenados.

Agricultura reforça apoio às famílias camponesas

O director do Gabinete Provincial da Agricultura, Pecuária e Pescas no Cunene, Carlos Ndanyengondunge, assegurou, em Ondjiva, o reforço da distribuição de sementes de hortícolas e fertilizantes, para o fomento da agricultura familiar. Revelou estarem disponíveis 59 toneladas de sementes de cereais para distribuição às famílias camponesas dos seis municípios do Cunene, no âmbito da campanha agrícola 2022/2023.

Em declarações à imprensa, lembrou que, recentemente, foram entregues vários equipamentos de trabalho e sementes de massango, massambala e de hortícolas  aos agricultores do corredor do canal do Cafu.

Explicou que nas margens do canal estão instaladas 10 Escolas do Campo, que ensinam aos camponeses as práticas agrícolas, traduzidas na preparação dos solos, uso correcto dos insecticidas e das sementes de qualidade.

"Estamos a trabalhar, em parceria com o Fundo Mundial de Alimentação (FAO) e outras Agências das Nações Unidas, no reforço da capacidade das comunidades”, afirmou.

Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Sociedade