Coronavírus

Seis óbitos e 287 novas infecções em 24 horas

Edivaldo Cristóvão

Jornalista

Angola registou, nas últimas 24 horas, 287 novos casos positivos da Covid-19, seis mortes e a recuperação de 62 pacientes.

06/06/2021  Última atualização 08H26
© Fotografia por: DR
De acordo com o boletim epidemiológico da Direcção Nacional de Saúde Pública (DNSP), apresentado ontem à imprensa, dos 287 casos positivos, 153 são residentes em Luanda, 64 no Huambo, 49 na Huíla, sete em Benguela, seis em Cabinda, seis no Zaire, um no Cuando Cubango e outro no Uíge.


Os novos infectados têm idades compreendidas entre 4 meses e 80 anos, sendo 174 do sexo masculino e 113 do sexo feminino.
Quanto às mortes, trata-se de seis cidadãos angolanos, sendo três residentes em Luanda, dois no Huambo e um na Huíla, com idades compreendidas entre 47 e 71 anos. Os óbitos são três do sexo masculino e igual número do sexo feminino.
Em relação aos 62 pacientes recuperados, 32 são residentes em Luanda, 14 no Huambo, 12 na Huíla, quatro em Benguela e dois na Lunda-Norte, com idades compreendidas entre 10 e 58 anos.


O boletim anunciou que os laboratórios processaram, nas últimas 24 horas, 2.788 amostras por exames de RT-PCR, elevando para um acumulativo de 599.851 amostras processadas, desde o início da pandemia, em Março do ano passado, com uma taxa actual de positividade de 5,9 por cento.


Nos pontos de entrada e saída da província de Luanda foram testados, nas últimas 24 horas, 524 cidadãos, na base do antigénio.
Com os dados divulgados ontem, o quadro epidemiológico da pandemia no país subiu para 35.594 casos positivos, dos quais 28.866 pacientes recuperados, 794 mortes e 5.934 activos.


Dos casos activos,  dez estão em estado crítico, 25 graves, 158 moderados, 16 leves e 5.725 assintomáticos.
Estão internados no país 209 pacientes, 164 estão em quarentena institucional e 2.556 contactos sob vigilância epidemiológica.


Comentários

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comente

Faça login para introduzir o seu comentário.

Login

Coronavírus